Oração ao Rei dos Mártires, Jesus Cristo, nosso Senhor
maio 20, 2016
Leitura Orante de Jo 16,12-15: Evangelho da Festa da SS. Trindade – Ano “C”
maio 22, 2016

A Santa dos Impossíveis – Rita de Cássia

Santa Rita de Cássia (1381-1457)

22 de maio

Uma das santas mais queridas do povo! Também, pudera, é “a santa dos impossíveis”. Sua festa é no dia 22 de maio, e como tem gente que sente o coração acelerar neste bendito dia! Aliás quem não conhece alguém, muitas vezes em sua própria família, que se chama “Rita”, que é o diminutivo carinhoso de “Marguerita”, “Margarida”, isto é “Pérola”!

Para buscar uma pérola, o mergulhador tem de ir muito fundo no mar. Jesus diz que um mercador vendeu tudo o que tinha para comprar uma pérola preciosa (Mt 13,46). O sábio autor do Livro dos Provérbios, disse que uma mulher santa vale mais do que uma preciosa pérola (Pv 3,15). Rita, santa jovem, esposa, viúva e religiosa de votos, é esta riqueza do Povo de Deus: uma santa mulher!

Ela nasceu em Roccaporena, aldeia da região de Cássia, na Itália. Teve uma infância segura, mas sofrida, pelas desavenças de seus pais. Queria ser freira, mas teve de fazer a vontade dos pais, que a constrangeram a casar-se com um homem que lhes parecia um bom partido, mas era violento e brutal. Alguns dizem que teria sido até assaltante de estradas! Um dos milagres “impossíveis” de Rita foi conduzir a bom caminho o pai de seus filhos. Contudo, velhos inimigos, vendo que o lobo se convertera em cordeiro, o assassinaram.

Outro “impossível” diante de Rita: convencer seus dois filhos a não vingarem a morte do pai, mas perdoarem, conforme a doutrina de Cristo. Conseguiu, à força de carinho e de oração. Foi providencial este perdão, porque ambos morreriam dentro de doze meses, e a piedosa mãe, coração valente, acompanhou-os à presença do Altíssimo Pai do Céu com sua prece.

Acreditou, então, que poderia pedir ingresso no convento das Irmãs Agostinianas de Santa Maria Madalena. Foi recusada várias vezes, mas seu coração orante lhe dizia para insistir. Assim foi admitida em 1407! Outro “impossível” se realizava: sua vocação de juventude!

Afinal religiosa, foi um modelo de caridade e oração. Tinha uma profunda compaixão com o Cristo sofrido e abatido na sua dolorosa Paixão. Por isso recebeu o dom místico da ferida de um espinho do Crucifixo na testa. Esta ferida só se fechou depois de sua morte! Seus contemporâneos testemunharam que, na manhã do dia 22 de maio, no raiar do dia, os sinos das igrejas de Cássia repicaram festivamente, sem que mãos humanas os tocassem. Outro “impossível”! Assim não admiremos que a obscura freira tenha tido um enterro acompanhado de multidão! No entanto ela só veio a ser inscrita no cânon (lista oficial) dos santos em 1900! Santa Rita dos Impossíveis, rogai por nós!