A Vida Eterna: Vida Divina, ímpeto de Amor-amor
Março 1, 2017
Com Neemias em favor do povo empobrecido
Março 4, 2017

A Unção dos Enfermos vem de Jesus? O que é? E se não cura?

173 O que significa o sacramento chamado “unção dos enfermos”?

Jesus, o Cristo, isto é, “o Ungido”, quando anunciava o Evangelho do Reino teve muitos gestos de amor e cura para com os doentes. Também enviou seus Doze Apóstolos para pregar o Evangelho e ungir os enfermos: Partindo, eles pregavam que todos se arrependessem. Expulsavam muitos demônios, e curavam muitos enfermos, ungindo-os com óleo (Mc 6,12-13).

Jesus Ressuscitado disse a respeito dos discípulos: Em meu Nome … imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados (Mc 16,18).

Mais tarde escreveu S. Tiago sobre o rito da unção dos enfermos: Sofre alguém dentre vós um contratempo? Recorra à oração. Está alguém alegre? Cante. Algum de vós está doente? Mande chamar os presbíteros da Igreja para que orem sobre ele ungindo-o com o óleo em Nome do Senhor. A oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o porá de pé. E, se tiver cometido pecados, estes lhe serão perdoados. Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros para que sejais curados (Tg 5,13-16).

Portanto, como ensina a Igreja, o sacramento da unção dos enfermos tem por finalidade conferir uma graça especial ao cristão que se encontra em estado de doença grave ou debilitado, por exemplo, pela idade avançada. Jesus, que tocava freqüentemente os doentes para curá-los (ver Mc 1,41; 3,10; 6,56; 7,32-36; 8,22-25; Jo 9,6 etc.), continua tocando os seus discípulos doentes e enfraquecidos com toda a misericórdia na Igreja.

174 Quem pode ministrar a unção dos enfermos?

Os Bispos e Padres que impõem as mãos ungindo a fronte e as mãos dos doentes com o santo óleo dos enfermos, acompanhando a unção com a oração litúrgica apropriada (ver Tg 5,14).

175 Os fiéis podem rezar pela cura impondo as mãos num gesto de bênção?

Sim, desde que não pareçam imitar o sacramento da unção dos enfermos, empregando, por exemplo, o óleo. De fato, o Espírito Santo dá a algumas pessoas um carisma especial para curar (1Cor 12,9.28.30), carisma que manifesta a graça de Jesus Ressuscitado.

176 Quem não fica curado é porque não tem fé?

Não é verdade, porque senão teríamos de acusar Jesus mesmo de falta de fé, pois os carrascos o debilitaram com mus tratos e suplícios e o fizeram morrer crucificado.

Mesmo as orações mais intensas não curam todas as doenças, suprimem todas as debilidades e tornam esta vida imortal. As orações de Marta e Maria não impediram a doença e morte de Lázaro: As duas irmãs mandaram dizer a Jesus: “Senhor, aquele que amas está doente!’ A essa notícia Jesus disse: “Essa doença não é mortal, mas para que se manifeste a glória de Deus, para que por ela seja glorificado o Filho de Deus” (Jo 11,3-4).

Com efeito, o próprio S. Paulo teve de aprender do Senhor que lhe disse: Basta-te a minha graça, pois é na fraqueza que minha força manifesta todo o seu poder (2Cor 12,9). Assim o cristão enfermo e envelhecido pode dizer dos seus sofrimentos e dores o mesmo que São Paulo disse diante da sua condenação à morte: Completo na minha carne o que falta às tribulações de Cristo pelo seu Corpo, que é a Igreja (Cl 1,24). A oração e os Sacramentos, nestes casos, asseguram testemunho de fé e piedade, durante a enfermidade e doença, e preparam para uma boa morte. São José é, tradicionalmente, o Padroeiro da Boa Morte.

177 Então, quais são os efeitos deste sacramento da Unção dos enfermos?

O principal é a união do enfermo com os sofrimentos e a Paixão redentora de Jesus Cristo. A Unção proporciona também:
• conforto, a paz e a fortaleza para suportar com fortaleza de ânimo e esperança a doença e a velhice;
• concede o perdão dos pecados, se o doente não tem condições de se confessar;
• o restabelecimento da saúde, se isto for para o seu bem e para a glória de Deus;
• a preparação para a passagem para a vida eterna.