Santo Agostinho nos dá dicas para rezarmos bem – 5
novembro 30, 2014
Os Três Adventos, segundo São Bernardo
dezembro 4, 2014

“Adão e Eva no judaísmo, no cristianismo e no islamismo”; “Participação dos leigos nas decisões da Igreja”; “Justiça e coerência”; “O Direito a saúde no Brasil”

Christfried Bötrich, Beate Ego & Friedmann Eissler, “Adão e Eva – no judaísmo, no cristianismo e no islamismo”, Loyola / SP 2014, 21×14, 181 pp.

13728_01ed_Cpa_Adao e Eva no judaismo cristianismo e islamismo.i

A Loyola já editou obras na mesma linha sobre Abraão e Moisés, reforçando o diálogo entre judaísmo, cristianismo e islamismo. Os Autores não tentam dissimular diferenças, mas ser atentos à autocompreensão que os adeptos de cada uma destas grandes religiões monoteístas, “abraâmicas”, com tantos heróis comuns têm de si mesmos. Beate Ego é especialista no Antigo Testamento, professora e membro do Centro para estudos de religião da Universidade Ruhr-Bochum, Alemanha. Seu estudo sobre “Adão e Eva no judaísmo” ocupa a 1ª parte da obra. Em seguida, escreve Christffried Bötrich, “Adão e Eva no cristianismo”. Ele é docente na Universidade de Greifswald, Alemanha, e membro do Studiorum Novi Testamenti Societas e da Wissenschftilichen Gesellschaft für Theologie. A terceira parte do livro, “Adão e Eva no islamismo”, tem a assinatura de Friedmann Eissler, consultor científico da instituição científica, que assessora a Igreja Luterana da Alemanha, quanto às questões relacionadas às “visões do mundo”. Curiosamente, não foi encontrado ou convidado alguém da fé muçulmana, mas, sem dúvida, o Dr Eissler tem competência na área. Os estudantes de Novo e Antigo Testamento, além dos interessados na história das culturas e das religiões, sentirão o valor de capítulos como o da Dra. Ego: “A História do Paraíso como material humano e o ‘Trabalho do Mito'”.

Denis Coutinho, “Justiça e coerência – ensaios sobre John Raus”, Loyola / SP 2014, Coleção “Leituras Filosóficas”, 19×12, 286 pp.

14197_01ed_Cpa Justica e coerencia.indd

O Autor é docente na UNISINOS / RS, com pós doutorados na London School of Economics and Political Science e no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento / SP. Ele analisa para nós a teoria da justiça do John Rawls, procurando mostra como o trabalho deste filósofo pode ser melhor compreendido como um sistema de justificação, que busca a coerência, em vez de ser lido como ligada à tradição contratualista, interpretação apenas parcialmente correta, a seu ver. Obra importante para estudantes de sociologia, política ou filosofia.

Pe. Antônio da Silva Pereira, “Participação dos leigos nas decisões da Igreja Católica”, Editora PUC-RIO & Edições Loyola / SP 2014, 21×14, 199 pp.

Liv_PartLeigosDecsIgreja

O Autor é canonista, teólogo, docente da PUC-RIO. A obra aprofunda pontos cruciais do Concílio Vaticano II, dos recentes discursos papais sobre a participação do laicato também na esfera das decisões da Igreja, sempre levando em conta seu caráter sacramental e hierárquico. Prefácio do Padre Jesus Hortal, SJ. Certamente este livro será bem acolhido por leigos e pastores interessados mais de perto nas questões levantadas.

Maria Elisa Villas – Bôas, “O Direito à saúde no Brasil – reflexões bioéticas à luz do princípio da justiça”, Loyola / SP 2014, 21×14, 247 pp.

Cpa O direito a saude no Brasil.indd

A Autora é graduada em Direito e Medicina, doutora em Direito Público, pesquisadora reconhecida na área da bioética desde 1999. É docente de Ciência Política e Direito Constitucional na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia. Têm crescido os apelos ao judiciário na área da saúde, e as decisões têm de olhar para os direitos humanos, os preceitos constitucionais quanto ao acesso universal à saúde, bem como para a realidade com que se defrontam os gestores do sistema público de saúde. Portanto, a obra discute os critérios de justiça na distribuição dos recursos, procurando caminhos razoáveis para a solução dos impasses. O livro merece atenção dos estudiosos de direito, dos responsáveis pelo setor de saúde pública, e, sem dúvida, dos responsáveis pela pastoral da saúde.