Obras de Misericórdia: “lição de casa” para todos, segundo o Papa Francisco
janeiro 1, 2015
Como não se manchar com o dinheiro…
janeiro 15, 2015

Adorando o Verbo de Deus, Filho de Maria, no Dia Mundial da Paz, 1o de Janeiro

O Verbo Eterno assumiu nossa natureza no seio de Maria! *

mae-da-igreja

– “O Verbo de Deus veio em auxílio da descendência de Abraão – como diz o Apóstolo – Por isso deveria, em tudo, fazer-se semelhante aos irmãos” (Hb 2,16-17), assumindo um corpo semelhante ao nosso.

R Senhor nosso, Jesus bendito, que tenhamos grande respeito ao corpo humano, desde pequeno fruto fecundado no ventre das mães, até a hora de sepultá-lo em oração!

– Eis porque Maria está verdadeiramente presente neste Mistério: foi dela que o Verbo assumiu, como próprio, aquele corpo que havia de oferecer por nós. A Sagrada Escritura, recordando este nascimento, diz: “Envolveu-O em panos” (Lc 2,7); proclama felizes os seios que O amamentaram, bem como fala do sacrifício oferecido pelo nascimento deste Primogênito. O Anjo Gabriel, com prudência e sabedoria, já o anunciara a Maria. Não lhe disse simplesmente: “Aquele que nascer ‘em ti’ ”, para que não se pensasse de um corpo nela introduzido desde fora. Mas disse ‘de ti’ (Vulg. Lc 1,35), para que se acreditasse que o fruto desta concepção procedia realmente de Maria.

R Bom Jesus, que leiamos, ouçamos e creiamos!

– Assim foi que o Verbo, recebendo nossa natureza humana e oferecendo-a em sacrifício, assumiu-a em sua totalidade, para nos revestir depois de sua natureza divina, segundo as palavras do Apóstolo: “É preciso que este ser corruptível se vista da incorruptibilidade. É preciso que este ser mortal se revista de imortalidade” (1Cor 15,53).

R Bom Jesus, que leiamos, ouçamos e creiamos!

– Estas coisas não se realizaram de maneira fictícia, como julgam alguns, o que é inadmissível! Nosso Salvador fez-se verdadeiro homem, alcançando assim a salvação do ser humano em sua totalidade. Nossa Salvação não é absolutamente alguma coisa fictícia, nem limitada apenas ao corpo, mas, realmente, salvação do homem inteiro, corpo e alma, realizada pelo Verbo de Deus.

R Bom Jesus, creio em Ti, verdadeiro Deus que se fez verdadeiro Homem. Tu és o Filho do Altíssimo e Filho da sempre Virgem Maria!

– A natureza que Ele recebeu de Maria era uma natureza humana, segundo as divinas Escrituras, e o Corpo do Senhor, um corpo verdadeiro. Digo “verdadeiro”, porque era um corpo idêntico ao nosso. Maria, portanto, é nossa irmã, pois todos somos descendentes de Adão.

R Tu és, Jesus, o Príncipe da Paz! Tua Mãe é a Rainha da Paz! Mesmo em meio dos tumultos do mundo, podemos viver a Tua Paz! Que trabalhemos pela paz no mundo!

– As palavras de João: “O Verbo se fez carne” (Jo 1,14) têm o mesmo sentido que se pode atribuir a uma expressão semelhante de Paulo: “O Cristo se fez maldição por nós” (ver Gl 3,13). Pois da íntima e estreita união com o Verbo, resultou para o corpo humano um engrandecimento sem igual! Sendo animal, ele se tornou espiritual; sendo terreno, transpôs as portas do céu!

R Divino Espírito, move-nos para que aceitemos ser levados pelo Cristo ao Pai! Que desejemos o céu!

– Contudo, mesmo tendo o Verbo tomado um corpo no seio de Maria, a Trindade continua sendo a mesma Trindade, sem aumento nem diminuição. Ela é sempre perfeita. Na Trindade reconhecemos uma só Divindade. Assim, a Igreja proclama um Único Deus no Pai e no Verbo!

R Glória a Ti, Trindade Santa! Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo! Honra a ti, Maria Santíssima, Mãe de Deus e Mãe nossa também! Ave Maria, Rainha da Paz! Rogai por nós, pecadores, para que, convertidos, possamos gozar a alegria da Paz!

* Das Cartas de Santo Atanásio, Bispo e Doutor da Igreja (século IV), 2a leitura do dia 1o de janeiro, solenidade de Maria Santíssima, Mãe da Igreja e Dia Mundial da Paz