Leitura para abrir o Ano Novo com fé,esperança e amor
dezembro 27, 2017
Jesus – Jesus e o maravilhoso – Giovanni Papini
Janeiro 9, 2018

Bem aventurado Mariano Konopinski – 1o de janeiro

Beato Mariano Konopinski (10.IX.1907 – 1.I.1942)*

1 de janeiro

 

Seu nome de Batismo revela a devoção familiar a Nossa Senhora, particularmente amada pelos católicos poloneses. Assim tem um belo sentido que ele tenha morrido, ou melhor, “nascido para o céu”, no dia em que a Igreja celebra solenemente a Mãe de Deus.

Durante o Concílio Vaticano II, determinou-se que o Martirológio Romano deveria ser revisto, atualizado e novamente posto em honra nas comunidades. Talvez algum dia, fora do tempo da liturgia eucarística, talvez antes da leitura das intenções, ele venha a ser proclamado nas paróquias e comunidades.

A tradição do Martirológio veio dos “Livros do Nascimento” (“Die Natalis”), que as Igrejas particulares logo começaram a organizar, assinalando seus mártires com breves notícias sobre eles (“Elogios”). Assim seriam lembrados, como são até hoje. Começaram depois a colocar nos nomes dos santos venerados. Assim, embora o título consagrado pelo uso seja “Martirológio”, de fato é um “Santoral”. A versão portuguesa está atualizada até o ano de 2013.

A solenidade de Nossa Senhora Mãe de Deus atrai toda a atenção, mas há muitos nomes mencionados, entre eles do Beato Mariano, padre polonês, pároco da Diocese polonesa de Poznam. Sua vida de menino de família católica fervorosa, seu tempo de seminário e de padre não chamaram a atenção. Mas em setembro de 1939, aprisionado pelos nazistas, apenas por ser sacerdote católico, foi mandado para o terrível campo de extermínio de Dachau, próximo a grande cidade de Munique, no sul da Alemanha (Bavária). Ali, médicos nazistas, sádicos, realizaram “experiências científicas”, torturas apavorantes sobre seu pobre corpo e o de outras vítimas. Ele veio a morrer no dia 1 de janeiro de 1942.

São João Paulo II o declarou bem-aventurado com mais 99 outros supliciados pelo regime totalitário do “Nacional Socialismo”. Os nazistas passaram, a Mãe Igreja continua e continuará a louvar a Deus pelos Seus Santos e Santas.

Bem-aventurado Mariano Konopinski, rogai por nós, pecadores! 

 

*Ilustração: Nossa Senhora, Mãe de Deus e Rainha dos Mártires