No Monte Sinai
abril 18, 2013
Conhecimento humano de Deus – 2ª parte
abril 18, 2013

Conhecimento humano de Deus – 1ª Parte

1. Os seres humanos podem conhecer a Deus?

Sim, porque o que se pode conhecer de Deus está claro neles mesmos, pois Deus lhes revelou. De fato, desde a criação do mundo, o invisível de Deus – seu eterno poder e sua divindade – se torna visível à inteligência de suas criaturas (Rm 1,19-20).

2. Como Deus se revelou ao ser humano?

Muitas vezes e de muito modos, no passado, Deus falou a nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou pelo Filho (Jesus), o qual constituiu herdeiro de tudo, por quem criou também o mundo (Hb 1,1-2).

3. O que Jesus nos fala? o que ele faz?

Jesus fala as palavras de Deus (Jo 3,34), e realiza a obra de salvação que o Pai lhe confiou (ver Jo 5,36 e 17,4). Quem vê Jesus, vê o Pai (Jo 14,9).

4. Por que Deus se revelou ao ser humano?

Deus se revelou por amor: Deus amou tanto o mundo que entregou o Filho Unigênito para que todo aquele que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3,16).

5. Como se dá esta revelação de Deus aos seres humanos?

A Igreja de Deus comunica e transmite o que ela mesmo recebeu do Senhor Jesus, como diz o Apóstolo Paulo: Recebi do Senhor o que eu vos transmiti (1 Cor 11,23). Paulo insiste com os cristãos: Guardem as instruções como eu as transmiti a vós (1 Cor 11,2). Nesta Tradição recebemos e lemos a Santa Bíblia, as Sagradas Escrituras.

6. A Bíblia é inspirada por Deus?

Sim. Como S. Paulo já ensinava na Igreja primitiva: Desde a infância (ó Timóteo) conheces as Sagradas Escrituras e sabes que podem instruir-te para a salvação pela Fé em Cristo Jesus. Pois toda a Escritura é divinamente inspirada para ensinar, para repreender, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e capacitado em toda a boa obra (2 Tm 3,15-17).

7. O que é “o depósito da Fé”?

A Sagrada Tradição e as Sagradas Escrituras, também chamadas Santa Bíblia, constituem o “depósito da Fé”

8. Como o depósito da Fé é transmitido?

O depósito da Fé foi confiado pelos Apóstolos à guarda seus sucessores: Ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado. Evita as conversas frívolas de coisas vãs e as contradições da falsa ciência. Alguns, para segui-la, se desviaram da fé (1 Tm 6,20-21). E também: Guarda (ó Timóteo) o depósito precioso pela virtude do Espírito Santo que habita em nós (2 Tm 1,14). Assim os fiéis perseveram na doutrina dos Apóstolos (At 2,42).

9. Quem é o Autor das Sagradas Escrituras, a Santa Bíblia?

É Deus mesmo quem move e inspira os autores humanos: Nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal, porque jamais uma profecia se proferiu por vontade humana, mas foi pelo impulso do Espírito Santo que homens falaram por parte de Deus (2 Pe 1,20.21). Pois toda Escritura é divinamente inspirada (2 Tm 3,16).

10. Como estão constituídas as Sagradas Escrituras, a Santa Bíblia?

A Bíblia cristã está constituída de duas grandes partes, geralmente conhecidas como Antigo e Novo Testamentos: o Antigo, até a vinda de Jesus; o Novo, depois de Jesus (Os Evangelhos; os Atos dos Apóstolos; as Cartas dos Apóstolos; o Apocalipse)

A Igreja acolhe, venera e transmite como divinamente inspirados os 46 livros do Antigo Testamento e os 27 do Novo. Neles os 4 Evangelhos têm o lugar principal, pois Jesus Cristo é o centro de todas as Escrituras: Começando por Moisés e por todos os Profetas, (Jesus) foi-lhes explicando tudo o que a ele se referia em todas as Escrituras (Lc 24,27).

11. Como sabemos quantos e quais são os livros que constituem a Bíblia?

Para saber quais são os livros que constituem as Sagradas Escrituras os fiéis se confiam a autoridade da Igreja, pois, por promessa divina os poderes infernais não prevalecerão contra ela (Mt 16,18).

12. Como a pessoa humana responde à revelação de Deus?

A pessoa humana responde à revelação divina pela fé: Quando (Jesus) ressuscitou dos mortos os discípulos se lembraram do que ele havia dito e creram nas Escrituras e na palavra de Jesus (Jo 2,22). Assim também: Muitos creram em seu nome (no nome de Jesus) vendo os sinais que fazia (Jo 2,23).