Nossa Senhora de Lurdes – 11 de fevereiro
Fevereiro 10, 2017
O Papa Bento XVI e a limpeza na Igreja – “recordar é viver”.
Fevereiro 11, 2017

“Tem coragem e trabalha” – a Tenda e a Ternura do Pai

A tenda da misericórdia

A Tenda e a ternura do Pai

“O Senhor te escolheu para construir uma casa
que será o seu santuário. Coragem e põe-te a
trabalhar “. I Cr 28, 10

“O homem é criado para louvar, reverenciar e servir a Deus Nosso Senhor, e assim salvar a sua alma”.

Deus Pai e Mãe é Fonte da Vida e do Amor. É junto a essa fonte que eu posso experienciar-me amada e participante do mistério inesgotável do amor. A minha vida, a minha história, é uma manifestação do amor de Deus Pai e Mãe. Toda a criatura e todas as criaturas trazem em si, a “marca do amor “.
Deus me amou por  primeiro. Como Deus Pai e Mãe é Fonte de todo o amor, é ainda Ele que coloca no coração de cada pessoa a capacidade de deixar-se amar e de responder com amor ao Amor. Ainda mais, Deus Pai e Mãe jamais retira da pessoa o seu amor e a sua bênção . “Eu sou aquele que jamais te abandonará. Eu te protegerei aonde quer que tu fores “. ( Js 1, 5 . 9 ).
Ao criar-me Deus tinha um projeto espantoso para mim. Criou-me para louvá-lo e adorá-lo, reconhecendo-o como único Deus, o único Absoluto. Ele criou-me para eu ser feliz…
Sou uma criatura dependente, mas amada, livre, mas submissa ao amor do Pai; sou um pequeno reflexo da sua eterna sabedoria.
O Pai nos deu tudo para que em tudo nós pudéssemos louvá-lo, reverenciá-lo e servi-lo. Desejou que usássemos das criaturas livremente, tanto quanto nos ajudam a crescer no amor, no Dom, e assim, assemelhar-se a Ele, que é o Amor, o Dom gratuito.

Deus me criou livre, mas meu coração, tende a apegar-se desordenadamente às criaturas, e a fazer delas meus ídolos, meus pequenos deuses, a quem presto culto e ofereço incenso. Com freqüência, tendo a fazer de mim mesmo, o meu ídolo: coloco-me num pedestal, quero ser o centro, o ponto de referência. Meu orgulho, minha auto-suficiência levam-me a “cavar cisternas, cisternas fendidas, que não retêm a água “.

Então fico confusa, não tenho outro referencial senão a mim mesma, giro sobre mim, em um universo fechado. Às vezes, a minha liberdade desordenada tende a agarrar-se às criaturas na expectativa de que me tragam a plenitude, preencham os meus vazios.

Prestígio, a busca de “status” e projeção, o desejo de ser conhecida e de ter um nome na terra, são outros ídolos que afetam a vida. Há outros ídolos que ameaçam a minha vida, querendo continuamente tomar o lugar de Deus: a saúde, a vida longa, o prazer, o saber, o poder, o possuir …

São “bezerros de ouro “. Com freqüência, em vez de um Deus a quem seguir e submeter-me, prefiro um “bezerro de ouro “, ao qual possa conduzir os meus caprichos, e então torno-me escravo e perco a minha liberdade.
Através da participação e do diálogo, “os olhos do seu coração” poderão contemplar os sinais da manifestação do amor de Deus Pai e Mãe, na criação e na criatura . Procure contemplar o mundo, você mesma e as pessoas com os olhos de Deus Pai e Mãe. Atualize o movimento criado, ligando-o com sua vida pessoal, relacional e social. Perceba como Deus continua a criar e a recriar a humanidade.

“Senhor, tem compaixão de mim e, na tua imensa bondade,
conduze-me pelo caminho da eternidade ” (ver Sl 138/139)