Indulgências no Ano da Fé
abril 18, 2013
Jesus, seu Evangelho e sua Vida e milagres. O pecado contra o Espírito Santo
abril 18, 2013

CREIO EM JESUS CRISTO, UM SÓ SEU FILHO, NOSSO SENHOR

48. Quem é Jesus Cristo?

Jesus Cristo é o Filho único do Pai, que o Pai enviou ao mundo: Eis como se manifestou o amor de Deus entre nós: Deus enviou o seu Filho Único ao mundo para que vivêssemos por meio dele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas Ele nos amou e nos enviou seu Filho como vítima de expiação por nossos pecados (1 Jo 4,9-10).

Assim a Igreja crê que Jesus é o nosso grande Deus e Salvador (Tt 2,13). Subsistindo na condição de Deus, não pretendeu reter para si o ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si próprio , assumindo a condição de escravo, tornando-se semelhante ao homem. Apresentando-se como simples homem humilhou-se, feito obediente até a morte, até a morte de cruz (Fl 2,6-8).

Com efeito, quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou o seu Filho, que nasceu de uma mulher e sujeito à Lei (de Moisés) para pagar pela liberdade daqueles que estão sujeitos à Lei, para que nos seja dado ser filhos adotivos (Gl 4,4-5).

Jesus Cristo é o Verbo, isto é, a Palavra ativa e criadora de Deus. Ele estava em Deus e era Deus e se fez carne e habitou entre nós e nós vimos a sua glória, glória como do Filho Único do Pai, cheio de graça e de verdade … de sua plenitude, com efeito, todos nós recebemos, e graça por graça. A Lei foi dada por Moisés, mas a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo. Ninguém jamais viu a Deus: o Filho único, que está no seio do Pai, este O deu a conhecer (Jo 1,1.14.16-18).

Portanto, Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem, uma só Pessoa divina, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade.

49. Como se chama este mistério?

Jesus reúne e reconcilia em Si próprio a natureza divina e a natureza humana. Ele verdadeiro Deus e verdadeiro homem, e uma só Pessoa Divina. Este é o mistério que nos foi revelado (Rm 16,25) e que se chama “mistério da Encarnação”: E o Verbo SE FEZ CARNE (isto é, se encarnou) e habitou entre nós (Jo 1,14). Por isso está dito: Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio na CARNE é de Deus (1 Jo 4,2).

50. Jesus, como verdadeiro homem, cresceu fisicamente, intelectualmente e espiritualmente?

Sim: o Menino crescia, tornava-se robusto, enchia-se de sabedoria. E a graça de Deus estava com ele (Lc 2,40).

51. Como Jesus foi concebido?

Jesus foi concebido pelo Espírito Santo e nasceu da Virgem Maria. Assim diz o Evangelista: A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua Mãe estava prometida em casamento a José. Antes que se unissem como marido e mulher, ela se achou grávida por obra do Espírito Santo … O Anjo do Senhor manifestou-se a José em sonho, dizendo: José, Filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, pois quem nela foi gerado vem do Espírito Santo. Tu o chamarás com o nome de Jesus, pois ele salvará o povo dos seus pecados (Mt 1,20-21).

52. Para que tudo isso aconteceu?

Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor havia dito pelo Profeta (Is 7,14): “Eis que uma virgem conceberá e dará a luz um filho, e o chamarão de Emanuel – o que significa “Deus-conosco” (Mt 1,23).

53. Por que Maria é bem-aventurada, isto é, bendita? Por que ela é a “Imaculada Conceição”?

Isabel, mãe de João Batista, inspirada pelo Espírito Santo, disse a Maria: “És bendita entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre. Como me é dado que venha a mim a Mãe do meu Senhor. Pois quando tua saudação ressoou em meus ouvidos, a criança saltou de alegria em meu ventre! Bendita aquela que creu, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor há de se cumprir!” (Lc 1,41-45)

“Imaculada Conceição” quer dizer que Maria foi concebida livre do pecado original em atenção aos méritos do seu Filho, Jesus, nosso Salvador. A Igreja louva Maria como a “Imaculada Conceição” pois assim a reconheceu na voz da piedade cristã desde a antigüidade e na doutrina dos seus doutores e santos, segundo a Santa Tradição. Lendo, no entanto, as Escrituras à luz desta fé constantemente professada e rezada na sua Liturgia, a Igreja nos recorda que a Mãe do Messias, Maria, é aquela que tem uma inimizade perpétua contra o mal: Porei – diz o Senhor – inimizade entre ti (serpente) e a mulher, entre a tua descendência e a descendência dela (Gn 3,15).

Esta inimizade entre a Mãe do Messias e o demônio não seria completa e verdadeira se, em algum tempo, Maria, estivesse submetida ao pecado original. Assim o triunfo do Salvador sobre o dragão, a antiga serpente, o chamado diabo ou Satanás (Ap 12,9) é total, e a Mãe do Messias, aquele que rege todas as nações com o cetro de ferro (Ap 12,5; ver também Ap 2,27; 19.15; Sl 2,8-9) está incluída nesta vitória do seu amado Filho.

De fato, o dragão não pôde fazer nenhum mal nem à Mãe nem ao Filho: o Filho lhe foi arrebatado, e a Mulher foi defendida contra os ataques do demônio (ver Ap 12,1-17). Maria, a Mulher (Jo 2,4) é a cheia de graça (“a Agraciada” – Lc 1,28), a bendita entre as mulheres, pois seu Filho, Jesus, é o bendito fruto do seu ventre (Lc 1,42). Ela é a Mulher gloriosa, o grande sinal aparecido no céu … vestida de sol, tendo a lua a seus pés, e na cabeça uma coroa de doze estrelas (Ap 12,1).

Em Maria, a Imaculada, Deus revela o que ele deseja para todos nós, seus filhos: Ele (Jesus) vos reconciliou no seu corpo de carne, entregando-o à morte, para vos apresentar santos e imaculados e irrepreensíveis diante dele o Pai (Cl 1,22).

54. Como Jesus confirmou o louvor que Isabel dirigiu a Maria sob a inspiração do Espírito Santo?

Jesus confirmou esta bem-aventurança, quando respondeu a uma mulher que proclamava sua Mãe bendita, porque o tinha gerado e amamentado. Ele explicou que antes ela era bendita, porque tinha ouvido e cumprido a palavra de Deus: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a cumprem (Lc 11,27-28). Ora, Maria tinha respondido ao Anjo: Faça-se em mim segundo a tua palavra (Lc 1,38), isto é, a palavra de Deus que o Anjo tinha acabado de lhe anunciar. Maria é a primeira a cumprir a vontade de Deus aceitando ser Mãe do Salvador. Ela também nos ensinou a fazer tudo quanto Ele disser (Jo 2,5).

55. Qual é o mistério da Anunciação”

É esse mistério do anúncio feito pelo Anjo Gabriel a Maria Santíssima, proclamando que ela seria Mãe do Filho de Deus, Jesus (Lc 1,26-38).

56. Qual é o mistério da “conceição virginal”?

É o mistério de ter Maria concebido em seu ventre por obra do Espírito Santo: Eis que o Anjo do Senhor lhe apareceu em sonho e lhe disse: “José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, em tua casa: quem nela foi gerado provém do Espírito Santo. Ela dará a luz a um filho e tu o chamarás com o nome de Jesus, pois ele salvará o povo dos seus pecados.” Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta (Is 7,14): “Eis que a Virgem conceberá e dará a luz um filho que será chamado `Emanuel’, que quer dizer `Deus-conosco’.” (Mt 1,20-22).