Jesus – Jesus e o maravilhoso – Giovanni Papini
Janeiro 9, 2018
Jesus – As três tentações – Giovanni Papini
Janeiro 15, 2018

Funerais, Luto, Sepultamento e Cremação

Funerais e Luto*

 

219 O que dizer dos funerais e do luto?

Para o cristão, enterrar o corpo de um falecido significa semear o que sofre o apodrecimento, o corruptível, esperando que há de ressuscitar incorruptível, como afirmam as Escrituras: O mesmo se dá com a ressurreição dos mortos: semeado corruptível, o corpo ressuscita incorruptível; semeado desprezível, ressuscita reluzente de glória; semeado na fraqueza, ressuscita cheio de força; semeado corpo psíquico, ressuscita corpo espiritual (1Cor 15,41-42).

As Escrituras também afirmam que é uma obra de misericórdia sepultar os mortos (ver Tb 1,15-20). Os funerais cristãos manifestam a esperança e celebram o fim desta vida terrestre e o começo da vida eterna. A Igreja acompanha essa derradeira Páscoa (passagem) do cristão com toda a piedade: orações, bênçãos, leitura da Palavra de Deus.

Quanto ao luto, este é um costume que já vem do Antigo Testamento e é compartilhado por muitas religiões (ver, por exemplo Gn 50,11; 2Sm 11,27). Na vida nova do céu já não haverá nem luto, nem choro, nem tristeza (Ap 21,4), mas aqui estamos a caminho e faz parte da vida chorar. O luto tem uma utilidade espiritual para os vivos: Mais vale ir a uma casa em luto do que ir a uma casa em festa, porque esse é o fim de todo homem. Deste modo, quem estiver vivo refletirá (Ecl 7,2).

220 Onde deve ser sepultado o corpo de um cristão?

Quanto possível, ele deve ser sepultado em terra abençoada, com marcas e sinais que recordem aos demais cristãos que ali jaz a relíquia de um irmão ou irmã na fé. É muito significativo, piedoso e recomendado que uma cruz assinale a sepultura cristã.

Pode-se cremar um corpo, desde que se guarde, com respeito devido, em lugar adequado, as cinzas. Não é permitido, na Igreja, jogá-las no gramado ou nas águas, porque são relíquias do corpo humano, templo do Espírito Santo.

 

*Ilustração: exéquias de São João Paulo II