Almôndegas: duas receitas
abril 25, 2016
A Europa se fecha, apesar dos clamores da Igreja em favor dos refugiados.
abril 27, 2016

Gedeão, o herói de duas narrativas (Jz 6 a 8)

Gedeão pede um sinal a Deus

Gedeão, o herói de duas narrativas (Jz 6 a 8)

A epopéia de Gedeão até hoje fala às imaginações, e mesmo não leitores da Bíblia podem ter ouvido falar dele. O Autor do Livro dos Juízes também. Nas referências que recolheu, para ele e para nós, seus leitores, o testemunho dado era de que a Mão da Providência sempre ajudava o Povo em seu progresso, muitas vezes perturbado. Também Jesus nos adverte e tranqüiliza: “Eu vos estou dizendo isto, para que tenhais paz em mim. No mundo tereis aflições. Vós tereis que sofrer no mundo. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!” (Jo 16,33). E a leitura das aventuras do antigo madeireiro, ou guerreiro, dois possíveis significados do nome “Gedeão” nos dão este ânimo: é possível resistir, vencer os opressores e ir adiante com a graça de Deus!

Os que lêem com cuidado os capítulos do Livro dos Juízes de 6 a 8 veem que o Autor conta duas histórias diferentes, sem tomar partido. Mesmo para ele, Gedeão é um personagem de um tempo passado, que deixou marca na memória popular como um dos heróis de Deus. Um relato, maior, vai de Jz 7,1 a 8,3. O menor, independente, vai de Jz 8,4 a 8,21. No primeiro trecho, temos uma guerra tribal comum, contra os madianitas e seus camelos (a primeira vez que estes animais aparecem na Bíblia!). No segundo, há uma vingança de sangue. No capitulo 6, que podemos ler como uma introdução, os versículos de 25 a 32, talvez sejam nossa pista para entendermos o valor das façanhas de Gedeão: ele, inspiradamente, lutou contra os ídolos e firmou a fé dos filhos de Israel.

Gedeão, enfim, foi um dos líderes daqueles acontecimentos que, na visão da Fé, marcaram a história perturbada e ainda obscura para o dia de Jesus, a nossa Luz nos nossos dias fragmentados e estranhos, mas cheios de vitórias.