CREIO EM JESUS CRISTO, UM SÓ SEU FILHO, NOSSO SENHOR
abril 18, 2013
Coisas da Bíblia: O Livro do Levítico
abril 18, 2013

Jesus, seu Evangelho e sua Vida e milagres. O pecado contra o Espírito Santo

72. Por que os Evangelhos nos relatam algumas coisas da vida, das palavras e dos atos de Jesus e não nos contam toda a vida de Jesus?

Os Evangelhos foram escritos para que creiamos que Jesus Cristo é o Filho de Deus, e, para que crendo, tenhais a vida em seu Nome (Jo 20,31). Eles são o testemunho da fé apostólica sobre Jesus. Como lemos nas Escrituras: É este discípulo que testemunha essas coisas e as escreveu, e nós sabemos que o seu testemunho é conforme a verdade. Jesus fez ainda muitas outras coisas. Se as escrevessem uma por uma, o mundo inteiro não poderia – penso – conter os livros que seriam escritos (Jo 21,24-25).

73. O que nos ensina a vida de Jesus?

Toda a vida de Jesus é Revelação do Pai. Por isso Jesus diz: Quem me vê, vê o Pai (Jo 14,9). E o Pai pode dizer: este é o meu Filho, o Eleito: ouvi-o! (Lc 9,35). Tendo Jesus se feito homem para cumprir a vontade do Pai (Hb 10,5-7), tudo o que ele fez e disse manifesta o amor de Deus por nós (1 Jo 4,9).

74. Toda vida de Jesus é o mistério de nossa Redenção?

Sim. Jesus é Luz e Vida para todo homem que vem a este mundo, para que todos creiam por meio dele (Jo 1,4-9). É este o desejo do Pai: O Filho do homem (Jesus) veio salvar o que estava perdido (Lc 9,56). Ele não veio para condenar o mundo, e sim para salvá-lo (Jo 12,47).

Assim, já na Encarnação, Jesus se fez pobre para nos enriquecer com a sua pobreza (2 Cor 8,9).

Na sua vida oculta, vivendo com Maria e José, por sua submissão (Lc 2,51), Jesus reparou a brecha que nossa rebeldia contra o Pai tinha aberto entre nós e Ele. Deste modo, intercedendo por nós, foi atendido por causa de sua submissão. Embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelos próprios sofrimentos, e levado até a própria consumação, veio a ser, para os que o obedecem, causa de salvação eterna (Hb 5,7-9).

Sua palavra nos purifica (Jo 15,3), e, com as suas curas e as expulsões dos demônios, ele levou nossas fraquezas e carregou as nossas doenças (Mt 8,17).

75. O que são os milagres de Jesus?

Jesus acompanhava as suas palavras com numerosos milagres, prodígios e sinais (At 2,22). Estes milagres são os sinais de que ele era o Cristo, o Messias esperado: “João Batista enviou-nos a ti para perguntar: és tu aquele que vem ou devemos esperar outro?”. Então, Jesus curou muitas pessoas de doenças e enfermidades, de espíritos malignos e restituiu a vida a muitos cegos. Depois respondeu aos enviados: “Ide relatar a João o que tendes visto e ouvido: os cegos recuperam a vista, os coxos andam direito, os leprosos são purificados e os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a boa nova é anunciada aos pobres, e é feliz quem não se escandaliza por minha causa” (Lc 7,19-23).

76. Os milagres nos convidam a crer em Jesus?

Sim, os milagres de Cristo são um convite a crer nele: Se não acreditais em mim, acreditai nas obras. Assim conhecereis, cada vez melhor, que o Pai está em mim como eu estou no Pai (Jo 10,38).

77. Os milagres de Cristo podem ser uma ocasião de dificuldade e tropeço para alguns?

Se para muitos os milagres de Jesus levam a crer, para outros são ocasião de escândalo (Mt 11,6). Alguns chegaram a acusá-lo de agir com a força do diabo: Ele tem Belzebu em si! É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios! (Mc 3,22).

78. Acusar Jesus de ser o próprio demônio é um pecado? É este o “pecado contra o Espírito Santo”?

Sim, esta acusação, sendo proferida com toda a consciência e liberdade é o maior pecado, o pecado contra o Espírito Santo, que não tem perdão (Mc 3,22-30; ver também Mt 12,22-32). O que Jesus diz sobre o pecado contra o Espírito é uma séria advertência para que quem reconhece não negue o que lhe é dado reconhecer, isto é, o Espírito Santo atuando em Cristo. Não é, contudo, uma condenação definitiva, pois Jesus sempre é o Salvador, neste mundo e no vindouro (Mt 12,32).

79. Por que Jesus não curou nem cura todos os doentes e enfermos, mas só alguns? Por que ele não acaba com as guerras e os males que afligem a humanidade?

Jesus não veio para solucionar todos os problemas da vida humana. Assim pergunta ao irmão que se vem queixar do comportamento do outro irmão num caso de herança: Quem me estabeleceu juiz entre vós para ser o vosso juiz ou para fazer as vossas partilhas? (Lc 12,14). Seu reino não é deste mundo (Jo 18,36), nem é comida ou bebida, mas é justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Rm 14,17).

Embora Jesus pudesse multiplicar os pães para saciar a multidão, Ele nos ensinou a pedir o pão nosso de cada dia (Lc 11,3), este pão que é “o fruto da terra e do trabalho humano” (Ofertório da Santa Missa), pois quem não quer trabalhar, não coma (2 Ts 3,10).

80. O que significam, então, os milagres de Jesus?

Os milagres de Cristo significam que ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1,29), e que ele veio nos libertar da escravidão do pecado: Em verdade, em verdade, eu vos digo: aquele que comete o pecado é escravo do pecado. O escravo não permanece sempre na casa. O filho porém permanece nela para sempre. Se, portanto é o Filho que vos liberta, sereis realmente homens livres (Jo 8,34-36). Eles também indicam a direção que Ele quer que os discípulos tomem: em favor dos fracos, doentes, excluídos e perdidos.