O Papa na Armênia (junho de 2016) e o genocídio sofrido por este povo cristão
junho 25, 2016
junho 29, 2016

Leitura orante: medidas justas e inspiradas em defesa dos pobres e escravizados (Neemias 5,1-19)

Imagem imaginativa da reconstrução dos muros de Jerusalém sob Neemias

Neemias cobra das elites medidas em favor do povo simples (Ne 5,1-19)

Naquele tempo, levantou-se grande queixa entre homens e mulheres do povo contra seus irmãos judeus: “Somos obrigados a vender nossos filhos e filhas para podermos comer e sobreviver!”.

Senhor nosso, piedade! Ainda hoje os pobres são obrigados até a se prostituírem para sobreviver! E há tantas crianças abortadas ou abandonadas como cães nas ruas! E há os refugiados da miséria, dos governos tirânicos e das guerras inúteis! Senhor, hoje também se elevam grandes queixas e há ódios e medos! Não querem construir pontes, mas levantar barreiras! Há muitas acusações entre irmãos! Piedade de nós!

“Tivemos que tomar dinheiro emprestado, penhorando nossos campos e vinhas para pagarmos os impostos do rei. Ora, temos a mesma carne que nossos irmãos e irmãs, no entanto temos de entregar à escravidão nossos filhos e filhas, Não podemos fazer nada porque nossos campos e vinhas já pertencem a outros!”

Bom Jesus, tantos séculos e poderosos depois, ainda há tráfico de pessoas e muitos dos que dizem defendê-las, no poder se mostram falsos, hipócritas, ladrões e opressores! Piedade de nós! Que a ternura imensa do Teu Coração nos socorra! Que não esperemos milagres, mas que nos unamos a Ti, vivamos o Evangelho para fazer o bem!

Tendo deliberado comigo mesmo, repreendi os nobres e magistrados nestes termos: “Que peso cada um de vós impõe a seus irmãos”. Convocando contra eles uma grande assembleia, eu lhes disse: “Resgatamos, na medida de nossas posses, nossos irmãos judeus que tinham sido vendidos entre as nações. E, agora, sois vós que vendeis vossos irmãos para que os resgatemos!”. Eles ficaram sem palavras, sem respostas. Continuei: “Não está certo o que fazeis! Recusais caminhar no temor de Deus e evitar o insulto das nações, nossa inimigas? Também eu, meus irmãos e meu pessoal lhes emprestamos dinheiro e trigo. Pois bem, vamos perdoar esta dívida. Restituí sem demora seus campos, vinhas, oliveiras e casas. Perdoai as dívidas em dinheiro, do trigo, do vinho e do óleo, que emprestastes!”. Responderam: “Restituiremos! Não exigiremos mais nada deles! Faremos como disseste!”

Cristo Libertador, Neemias contava com o poder do Imperador persa. Envia-nos quem possa nos liderar com bondade, justiça e clara visão dos negócios deste mundo! Livra-nos da caridade indiscreta e dos fanatismos! Precisamos ser governados por gente esclarecida e de coração! Temos tidos muitos defensores dos povos capazes das maiores intolerâncias e tiranias! Cuida de nós, ó Bom Pastor, porque nossos corações, como os dos poderosos, muitas vezes são maliciosos em suas escolhas! Convertei-nos e sermos convertidos!

Além disso, desde o dia em que o Rei me nomeou governador deste país de Judá, do vigésimo ao trigésimo segundo ano do Rei Artaxerxes, durante estes doze anos, eu e minha gente jamais comemos o pão devido ao governador. Ora os governadores que me precederam, oneravam o povo. Dele cobravam, todo dia, para o pão, quarenta siclos de prata. E seus servidores também oprimiam o povo. Eu, ao contrário, jamais agi assim, por temor a Deus.

Lembra-te, Senhor, nosso Pai do Céu, pelos méritos de Cristo, na Bondade suprema do Espírito Santo, de nos enviar líderes assim, bons pastores que não esfolam as ovelhas com falsos projetos e malignas ações! Amém! Aleluia!

Nossa Senhora Medianeira, Desatadora dos Nós, passa à frente! Não és Nossa Mãe do Céu, a Senhora do Perpétuo Socorro? Ave Maria!