“Quando Israel era uma criança” – fala o Pai nosso!
dezembro 10, 2016
Nossa Senhora de Guadalupe, rogai por nós!
dezembro 14, 2016

Maria de todos os Adventos! (3a Semana)

Maria e José a caminho de Belém

Maria, Mãe de Jesus

 

Com Maria, a “menina que Deus amou e escolheu”, nós temos muito, muito a aprender. Maria significa a bem-amada de Deus. Ela é a cheia de graça.

Não há melhor maneira de se viver o Advento do que se unindo à Maria como mãe, grávida de Jesus, esperando o seu nascimento.

Maria foi a mulher perseverante, fiel, dócil aos apelos do Senhor. Maria é modelo do ”silêncio” e da “escuta”. A palavra de Deus só pode tocar o coração daquele que está disponível, em estado de ”escuta”.

A Bíblia nos diz muito pouco acerca de Maria. Por outro lado, tudo que sabemos sobre sua vida aponta para o Seu amado Filho e Salvador.

         Ela também não disse muitas coisas; no entanto, disse uma palavra que mudou toda a História. Maria disse: –  SIM!
Essa pequena palavra veio do coração puro de uma mulher simples, que poderia ter dito não com a mesma facilidade. Em vez disso, Maria se entregou por completo a Deus que se dera primeiro a Ela.

         Nossa Senhora, jovem, – deveria ter aproximadamente seus quinze ou dezesseis anos – certamente estava em oração.

         Por isso é modelo para todos: Ela é modelo de acolhimento da Palavra de Deus em sua vida. Como se diz: primeiro ela concebeu a Palavra em seu coração e depois no seu seio.

         “Aceitando Maria a incomparável dignidade de mãe de Deus, aceitava o generoso dever de mãe do humano género. Devemos alegrar-nos: Maria, dando o seu consentimento ao anjo, nos adotou como filhos e se transformou na mãe de todos nós”.

O sonho de DEUS = MARIA, Mãe de JESUS

À proposta de DEUS, Maria responde SIM. Ao sexto mês, o Anjo Gabriel foi enviado por DEUS a Nazaré a uma jovem chamada MARIA. O Anjo saudou-a dizendo: “Alegra-Te, cheia de graça”.

         Ao convite do Anjo para ser a mãe de JESUS, MARIA respondeu:

“Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”.

 

Toda a vida de Maria foi um SIM ao projeto de DEUS:
• No Templo após oito dias do nascimento de Jesus;

  • Na fuga para o Egito;
  • Na vida quotidiana de Jesus durante os trinta anos em Nazaré;
  • Nas bodas de Caná;
  • Junto à cruz de Jesus;
  • Na Ressurreição.

MARIA é feliz e ditosa porque disse SIM à Palavra de DEUS,

acreditou nela e pô-la em prática, por isso foi:

  • Saudada em Nazaré pelo Anjo ” Alegra-te, cheia de graça”.
  • Saudada pela sua prima Isabel quando a foi visitar “Feliz és tu porque acreditaste”.
  • Saudada por uma mulher do povo que, ao vê-la exclamou “Feliz o ventre que te trouxe”.
  • Saudada por Jesus em resposta a esta quando disse: “Felizes os que escutam a Palavra de Deus e a cumprem”.
  • Saudada por nós, cada vez que dizemos “Ave Maria” ou “Salve Rainha”, cumprindo a profecia: “Todas as gerações me chamarão bem-aventurada”.

         O caminho de quem escolhe Deus implica em esvaziar-se de si mesmo e entregar-se a Ele sem reservas e sem questionamentos, como Maria. Quando aceitamos o convite de Deus, nossa história pessoal muda para sempre e nascemos de novo.

Quanto mais ouvirmos a Palavra de Deus, mais o Verbo de Deus se encarnará em nossa vida. Maria trouxe Jesus em seu seio. Nós O trazemos em nós pela Eucaristia e pela Palavra vivida. Por ela geramos Cristo através de nossas boas obras e atitudes. Maria deu à luz um Filho.          O que recebemos de Deus é para ser dado a todos. Nesse tempo de espera, como Maria, podemos preparar um berço para que Cristo possa nascer em nossas famílias, comunidade e locais onde vivemos. O maior presente que podemos dar nesse Natal é dar Jesus.

“Deixemo-nos guiar por ela, que é mãe e sabe nos guiar, neste tempo de espera e de vigilância ativa”.

Assim como Deus precisou do sim de Maria, hoje, Ele também quer precisar do nosso sim para poder nascer em nós e se manifestar no mundo; assim como Maria se preparou para o nascimento de Jesus, a começar pela renúncia e mudança de seus planos pessoais para sua vida inteira, nós precisamos nos preparar para vivenciar o nascimento d’Ele em nós mesmos e no mundo, em uma mesma disposição mariana:

“Faça-se em mim segundo a sua Palavra “(Lc 1, 38). Permitindo-nos, assim, uma conversão do nosso modo de pensar, da nossa mentalidade, do nosso modo de viver, agir, etc.

Na última semana antes do Natal, aí, sim, nosso olhar se volta para Belém de Judá, Presépio, Pastores, Reis Magos. É a oportunidade para preparar a celebração do Natal.

                                                                  Ir. Teresa Cristina Potrick, ISJ