Ressuscitou e subiu aos céus
abril 18, 2013
ASSUNTA E GLORIFICADA MÃE DE DEUS
abril 18, 2013

MARIA VIRGEM, A IMACULADA MÃE DE DEUS

57. Maria é Mãe de Deus?

Maria de Nazaré é Mãe de Deus pois assim foi chamada sempre e em todo o lugar, por toda a Igreja. Já Isabel, mãe do Batista, inspirada pelo Espírito Santo, a tinha chamado de Mãe do meu Senhor (Lc 1,43). Quem, por força do mesmo Espírito, diz que Jesus é o Senhor (1 Cor 12,3) chama Sua Mãe de Mãe do Senhor, Mãe de Deus. Afirmar que Maria é a Mãe de Deus é o mesmo que afirmar que Jesus é nosso grande Deus e Salvador (Tt 2,13).

Jesus proclamou sua divindade: Antes que Abraão existisse, “Eu Sou!” (Jo 8,58). “Eu Sou”, em hebraico, é o Nome de Deus, “Javé”. Ele é Deus Filho, que se fez homem no seio virginal de Maria e habitou entre nós, e nós vimos a sua glória, glória como do Filho único do Pai, cheio de graça e de verdade (Jo 1,14). Maria, cheia da graça do Verbo de Deus, humanado em seu ventre, foi feita, por pura misericórdia do Altíssimo, Mãe de Deus.

Na verdade, Maria Santíssima é a Mãe de Jesus, o Emanuel, que quer dizer Deus-conosco (Mt 1,23).

58. Por que João Batista disse: Não sou digno sequer de desamarrar as sandálias de Jesus (Jo 1,27)?

Como verdadeiro homem, filho do homem, Jesus descendia de Abraão (Mt 1,1) e era mais moço que o Precursor, pois foi concebido quando João Batista já tinha seis meses no ventre de Isabel (Lc 1,26). Mas, como verdadeiro Deus era antes de Abraão (Jo 8,58) e era também “antes” de João Batista (Jo 1,30). Do mesmo modo, sendo Jesus descendente de Davi, filho de Davi é o Senhor de Davi (Mc 12,35-37), o Senhor Deus e o Messias para quem Davi cantou os seus Salmos.

Jesus, sendo verdadeiro Deus Altíssimo é eterno e, portanto, anterior desde sempre ao seu primo mais velho segundo a carne, o Batista. Por isso está escrito: João dá testemunho dele e proclama: “Eis aquele de quem eu disse: o que vem depois de mim passou adiante de mim, porque era antes de mim” (Jo 1,30). Jesus “era” antes de Abraão e de João Batista como verdadeiro e eterno Deus, o criador e senhor dos dias e das noites, enfim acima e além do tempo (cf. Gn 1,1-5).

59. Maria é concebeu Jesus sendo virgem?

Maria Santíssima, prometida em casamento a José pelos seus pais, como se costumava entre os judeus e muitas outras culturas, ainda não tinha coabitado com ele, quando concebeu Jesus por obra do Espírito Santo (Mt 1,18). Logo foi virgem antes do parto: Tudo isso aconteceu para que se cumprisse o a que o Senhor dissera pelo profeta: “Eis que a Virgem conceberá e dará a luz a um filho, ao qual darão o nome de Emanuel, que quer dizer Deus-conosco” (Mt 1,22).

60. Maria foi virgem durante o parto?

A Igreja também crê que Maria permaneceu virgem durante o parto. Com efeito, Deus marca assim o início de uma nova criação. Como a primeira criação surge de sua Palavra, também esta nova criação do povo da nova Aliança. Assim é dito que os filhos de Deus já não estão ligados a Abraão por laços de sangue, mas pela fé: Mas aos que O receberam (receberam Jesus) aos que crêem em Seu nome, ele deu o poder de se tornarem filhos de Deus. Eles não nasceram do sangue, nem de um querer da carne, nem de um querer humano, mas de Deus (Jo 1,12.13).

Revela-se o poder criador de Deus dando um novo início à nossa história no modo virginal como Jesus foi concebido no seio de Maria Santíssima e no modo como nasceu dela, num parto que manteve a virgindade da Mãe.

Assim também se revela-se o carinho de Deus e o profundo respeito do Senhor por nossa humanidade. Ele não força nossa porta como um assaltante, mas, humildemente está à nossa parte e bate. Só entrará se lhe dermos licença! (Ap 3,20)

61. O que significa a virgindade de Maria Santíssima durante o parto?

O nascimento virginal é sinal da conceição (ou concepção) virginal e ambos são sinal da presença imediata de Deus unindo-se numa Aliança Nova e Eterna com a nossa humanidade, sem ofendê-la nem feri-la nem mesmo no momento do parto. Acreditando no parto virginal de Jesus, a Igreja confessa a ação forte e suave de Deus, que não fere nem diminui nada de nossa humanidade, mas é sempre a ação da Sua Sabedoria, mais móvel que qualquer movimento. Graças à sua pureza por tudo atravessa e tudo permeia (Sb 7,24). As intervenções do Pai Santo em nossas vidas nada destroem. Não nos causam nenhum dano ou prejuízo, mas geram vida verdadeira.

62. O que anuncia o parto virginal da Mãe de Deus?

O parto virginal anuncia o fim da história humana, quando não haverá mais morte, nem luto, nem lamento, nem fadiga, pois as coisas anteriores terão passado (Ap 21,4).

É também um sinal da bênção de Deus, que supera o castigo de Eva: Multiplicarei as dores de tua gravidez. Na dor darás à luz a teus filhos. Teu desejo te impelirá para teu marido, e ele te dominará (Gn 3,16). Com o nascimento virginal de Cristo esta fase da história está superada, e começam os tempos messiânicos.

Finalmente o parto virginal é um anúncio do que Jesus ressuscitado fez, entrando onde estavam os apóstolos de portas e janelas trancadas por medo dos judeus (Jo 20,19.26). É um sinal da sua divindade, que glorifica a sua humanidade, e o Lhe permite estar no meio de nós, como nosso Consolador, até o fim dos tempos (Mt 28,20).

63. Maria Santíssima se manteve virgem depois do nascimento de Jesus?

A Igreja no Ocidente e Oriente sempre creu e ensinou firmemente que Maria se manteve virgem também depois do parto. De fato, só Jesus é chamado de filho de Maria nas Escrituras. Nenhuma outra pessoa é apresentada nas Sagradas Escrituras como tendo nascido de Maria, o que é confirmado pela atitude de Jesus na hora de sua morte, pois Ele, então, confia sua Mãe ao discípulo amado, que a leva para sua casa (Jo 19,26-27). Este procedimento não teria sentido se Maria tivesse outros filhos, ou se José ainda estivesse vivo.