São Vicente Pallotti (1798-1850) 23 de janeiro
janeiro 23, 2015
Forças espirituais, por Dom Orlando Brandes (Arcebispo de Londrina / PR)
janeiro 26, 2015

Nestes tempos difíceis, “canta e caminha” (Sto. Agostinho)

  • Aqui em baixo, cantamos o “Aleluia!” ainda apreensivos, para podermos cantá-lo em cima, tranquilos.

 

  • Por que cantamos apreensivos o “Aleluia” aqui? Não queres que eu esteja apreensivo, se leio: “Não é acaso uma tentação a vida humana sobre a terra” (Jó 7,1). Não queres que eu fique apreensivo, se me dizem outra vez: “Vigiai e orai para não cairdes em tentação”? (Mt 26,41) (…) Somos pedintes cotidianos, devedores cotidianos.

 

  • Como pode estar no bem o povo que clama comigo: “Livrai-nos do mal” (Mt 6,13)?

 

  • E, no entanto, irmãos, mesmo neste mal, cantemos o “Aleluia!” ao Deus bom que nos livra do mal. Ainda aqui, no meio de perigos e tentações, por nós e por outros seja cantado o “Aleluia!”, pois “Deus é Fiel e não permitirá que sejais tentados além do que podeis suportar, mas fará que, com a tentação, haja uma saída para poderdes aguentar (…) Quando entrares na tentação, pensa na saída, porque Deus é Fiel: “Deus guardará tua entrada e tua saída” (Sl 120/121,7-8).

 

  • Somente quando este corpo se tornar imortal, desaparecerá toda a tentação (…) Como será feliz lá o “Aleluia”! Quanta segurança, onde ninguém será inimigo, e não morrerá nenhum amigo! Lá, louvores a Deus; aqui louvores a Deus. Mas aqui apreensivos; lá tranquilos. Aqui, louvores dos que vamos morrer; lá, louvores dos que para sempre hão de viver.

 

  • Cantemos, então, (…) para alívio do trabalho. Como o caminhante: canta e segue adiante (…) Avança no bem! (…) Progride no bem, progride na fé, sem desvios, progride na vida santa! Canta e caminha!

 

(Santo Agostinho, Sermo 256)