Milagres no Êxodo
abril 18, 2013
Conhecimento humano de Deus – 1ª Parte
abril 18, 2013

No Monte Sinai

montesinaiSinai, ou Horeb, é um pico rochoso, um dos muitos do deserto deste nome, localizado entre o Egito e Israel. Na verdade, não sabemos se o monte, há muitos séculos, considerado “o Sinai” foi de fato o Monte da Revelação do Nome de Deus e dos Dez Mandamentos. Os textos são vagos. E os estudiosos gostam de coisas bem “explicadinhas”! “Gebel Musa”, “a Montanha de Moisés”, como é chamado pelos locais, tem 2.300 m de altura. Ele e outros picos vermelhos de um planalto árido e rochoso formam um cenário imponente.

Lemos no Livro do Êxodo (19,1-2): “No terceiro mês, depois de sua partida da terra do Egito, naquele dia, os filhos de Israel chegaram ao deserto de Sinai… Israel levantou aí suas tendas, diante da Montanha”. Três meses só nos indicam que a estávamos num tempo abençoado, tempo do dom de Deus, a quem se referia o número três, número indivisível. Saídos do vale do Nilo, da região plana do Delta do Nilo, os israelitas devem ter ficado espantados diante daquelas alturas. No pé do monte, existe agora o velho mosteiro de Santa Catarina, onde o peregrino pode beber de água deliciosa e bem fresca tirada das entranhas da rocha. A meia altura, ele pode encher seu cantil ou sua garrafa, num poço, desde que tenha uma cordinha para mergulhar uns tantos metros.

O lugar devia ter inspirado sentimento religioso aos nômades daquele deserto, e era chamado “o Monte de Deus” (Ex 19,3). Moisés subiu e o nosso texto nos apresenta um belo hino (Ex 19,3-8), oráculo do Senhor, um maravilhoso recado de Deus misericordioso e amigo nosso.

Vale à pena reler estas palavras cadenciadas, poéticas, que dirigem corações e mentes para a verdadeira finalidade destes capítulos: levar-nos a celebrar, sempre de novo, a Aliança do Senhor com Seu Povo!