Templo de Deus
maio 2, 2013
Um Jesuíta fala do Papa Jesuíta
maio 4, 2013

Novidades Loyola – 03.05.13

Novidades Loyola – 03.05.13

Gian Luca Potestá & Giovanni Vian, “História do Cristianismo”, Loyola / SP, 2013, 23×16, 389 pp.

Cpa_Historia do cristianismo.indd

Os Autores lecionam em Universidades italianas (Milão e Veneza), ambos com várias obras publicadas. Aqui, trabalharam a quatro mãos para apresentar um painel da evolução histórica do cristianismo dos tempos de Jesus ao terceiro milênio, com as vantagens e limites de uma obra deste tipo: se garante ao leitor uma primeira informação de qualidade, necessariamente será mais fraca na análise de fenômenos históricos complexos, personalidades ricas e situações conflitantes. Bom índice onomástico. Notas bibliográficas no final dos capítulos (indicações de obras alemães, inglesas, francesas e italianas). Livro que bem pode servir de manual para estudantes de ciências da religião e leitores desejosos de terem uma visão de conjunto da trajetória histórica do cristianismo.

J. B. Gourinat & J. Barnes (Orgs.), “Ler os estoicos”, Loyola / SP, 2013, Coleção “Leituras Filosóficas”, 19×12, 269 pp.

13098_01ed_Cpa Ler os estoicos.indd

Os Organizadores se uniram com intelectuais franceses de primeira ordem para apresentarem ensaios de qualidade, desde uma introdução que realmente introduz ao mundo estoico, divididos em duas grandes partes: a escola estoica no período helenístico e no período imperial (romano). Cronologia, bibliografia e índice de passagens citadas (por filósofos estoicos) são precisos e ajudam a transformar este pequeno livro numa obra de referência, útil para qualquer interessado na filosofia da antiguidade clássica, na história da cultura e nos estudos filosóficos propriamente ditos.

Maurice Vidal, “Para que serve a Igreja?”, Loyola / SP, 2013, 21×14, 164 pp.

Cpa Para que serve a igreja.indd

O Autor leciona teologia dogmática no Seminário de Saint-Sulpice, Paris, França. Refletindo sobre os caminhos da Igreja desde os seus começos, analisando o tempo presente, procura nos dar, com clareza, “apostas teológica, históricas e sociais do papel e função da Igreja”. Na conclusão, retoma a percepção de que a Europa Ocidental, que parecia liderar o mundo na direção da laicização e do secularismo, hoje, parece mais uma exceção do que regra no panorama global. Livro instigante, que faz pensar, certamente será apreciado por católicos e não católicos que procuram se situar nestes nossos tempos, não menos turbulentos do que outros já vividos há história da humanidade.