Novidades Loyola: Autismo, Nietzche, Jesus Histórico, Pastoral da Saúde
outubro 12, 2013
Papa Francisco: as Unidade da Igreja, uma casa para todos.
outubro 16, 2013

Novidades Loyola (15.10.13): História da Teologia Moral Católica, História da Filosofia no Brasil, etc.

James Keenan, SJ, “História da Teologia Moral Católica no século XX – da confissão dos pecados à libertação das consciências”, Loyola / SP, 2013, 23×16, 301 pp.

O Autor é Professor do Boston College (EUA) e trabalha motivado pela crise gerada pela Encíclica “Humanae Vitae”, quando pareceu que se consumava uma cisão entre o ensino constante e universal do Magistério e o juízo moral da consciência formada. Talvez os leitores agradeçam a grande informação compilada pelo Autor e sintam a falta de uma conclusão mais incisiva e abrangente. Contudo, a obra, sem dúvida, se revelará um excelente instrumento de trabalho para pastores, estudantes de teologia e ciências da religião, bem como para evangelizadores e formadores.
Paulo Margutti, “História da Filosofia do Brasil – o período colonial (1500-1822)”, Loyola / SP 2013, 23×16,377 pp.

13921_Cpa Historia da filosofia no brasil PARTE I_1a.indd

O Autor até recentemente foi pesquisador A1 Do CNPq. Desde 2001, criou e atua no Grupo de Filosofia do Brasil (FIBRA), e se dedicou a pesquisa, apoiada pelo CNPq na área da filosofia brasileira, donde resultou este volume, o primeiro de uma série de três. A 1ª parte estuda a filosofia portuguesa de 1500 a 1822: a especificidade da península ibérica, a contrarreforma, a ideologia portuguesa no período colônia, as etapas da filosofia portuguesa neste período, concluindo com o período iluminista e um “balanço geral da filosofia portuguesa no período colonial”. A 2ª parte, “A filosofia brasileira no período colonial” estuda: a especificidade da cultura brasileira emergente, o período pré-colonial (a visão de mundo dos índios e dos negros africanos), o período do catolicismo barroco, o período da ruptura iluminista, concluindo com o “Balanço geral da filosofia brasileira no período colonial”. Excelente bibliografia. Certamente esta obra vai ser de grande utilidade tanto para professores, estudantes e estudiosos de filosofia nos países lusófonos, como para os que se dedicam a história do Brasil, em particular sua vertente de história da cultura brasileira.
Francisco Pinheiro Machado, “Imagem e consciência da história – pensamento figurativo em Walter Benjamim”. Loyola / SP 2013, Coleção “Humanística”, 21×14, 234 pp.

Liv_Imag&ConscHist

O Autor é doutorado na Ludwig-Maximilians-Universität (Munique, Alemanha), e, atualmente, leciona na UNIFESP, tendo considerável produção de artigos e livros. Esta é a edição brasileira da obra que publicou em língua alemã (2005). Em contraste com os que pensam que o passado é feito e acabado, e com os que propõem que passado e presente são transições para o futuro, Walter Benjamin demonstra que a relação entre o ocorrido e o agora é dialética, não de caráter temporal, mas imagética. Deste modo, vale à pena conhecer a história, e se reconhece o valor da lição do passado para o presente. O valor desta obra ultrapassa o interesse do círculo dos professores e estudantes de filosofia, trazendo valioso contributo para os estudiosos de história.
Francisco Volpi, “Heidegger e Aristóteles” (Prefácio de Enrico Berti)”, Loyola / SP 2013, 21×14, 182 pp.

Liv_Heid&Arist

O Autor, várias vezes premiado, já publicou pela Loyola “O niilismo” (1999). A publicação é póstuma, pois Volpi faleceu em 2009. Enrico Berti justifica esta edição pela importância da obra, dificilmente encontrada, porque foi lançada por uma pequena editora em 1984. O relançamento pela Laterza não teve correções e acréscimos, pois, escreve Volpi, “tanto quanto eu saiba, a interpretação geral que Volpi deu da relação de Heidegger com Aristóteles não mudou, como é patente nos seus estudos posteriores”. Por outro lado, continua, “parece-me correto repropor o livro em sua forma original para mostrar, também do ponto de vista da história dos estudos, a revolução por ele causada no debate sobre a filosofia de Heidegger e, mais amplamente, em toda a filosofia do século XX” (ver p. 9). Além das considerações introdutórias, Volpi dividiu seu estudo em três partes: “A presença de Aristóteles nas origens da concepção heideggeriana do ser”; “Verdade, sujeito e temporalidade nos cursos de Marburgo e em ‘Ser e tempo'”; “A presença de Aristóteles depois da ‘conversão'”. São valiosas as “considerações conclusivas”. Livro necessário aos estudiosos da filosofia moderna e contemporânea, mas que também interessará aos especialistas na filosofia clássica.
Lucy Silva e Regina Mara Conrado, “Ao Mestre com carinho – ação pedagógico-educacional do professor com a escola, a família, os alunos e a sociedade”, Loyola / SP 2013, 21×14, 130 pp.

Cpa Ao mestre com carinho.indd

Ambas as Autoras são coordenadoras pedagógicas na área da educação infantil e ensino fundamental I, além de “produtoras de projetos, oficinas e palestras educacionais”. Esta pequena obra se destina a combater o desânimo generalizado com a profissão docente.
Laurinda Ramalho de Almeida e Vera Maria Nigro de Souza Placco (Orgs.), “O coordenador pedagógico e a formação centrada na escola”, Loyola / SP / 2013, Coleção “O coordenador pedagógico”, 21×14, 161 pp.

Liv_CoordPedFormCentEsc

A qualidade desta coleção se apoia, certamente, na preocupação das organizadoras e dos(as) autores(as) com a realidade das nossas escolas em geral, donde o grande

Laurinda Ramalho de Almeida e Vera Maria Nigro de Souza Placco (Orgs.), “O coordenador pedagógico e a formação centrada na escola”, Loyola / SP / 2013, Coleção “O coordenador pedagógico”, 21×14, 161 pp.

A qualidade desta coleção se apoia, certamente, na preocupação das organizadoras e

Laurinda Ramalho de Almeida e Vera Maria Nigro de Souza Placco (Orgs.), “O coordenador pedagógico e a formação centrada na escola”, Loyola / SP / 2013, Coleção “O coordenador pedagógico”, 21×14, 161 pp.

A qualidade desta coleção se apoia, certamente, na preocupação das organizadoras e

Laurinda Ramalho de Almeida e Vera Maria Nigro de Souza Placco (Orgs.), “O coordenador pedagógico e a formação centrada na escola”, Loyola / SP / 2013, Coleção “O coordenador pedagógico”, 21×14, 161 pp.

A qualidade desta coleção se apoia, certamente, na preocupação das organizadoras e dos(as) autores(as) com a realidade das nossas escolas em geral, donde o grande número de sugestões que os leitores atentos facilmente aproveitarão nos vários artigos.