São Floriano (+ 304) 4 de maio
maio 3, 2015
“Experiência Mística e Psicanálise” + “Sonhar, fantasiar, virtualizar” + “politica e moral em Foucault”
maio 12, 2015

O Batismo: porta do céu, da Igreja, de todos os Sacramentos – dom de Cristo

<Capítulo 2>

<OS SACRAMENTOS DA INICIAÇÃO CRISTÃ: O BATISMO, A CONFIRMAÇÃO OU CRISMA E A EUCARISTIA>
143. Qual o significado do Batismo para a vida cristã?

Disse Jesus: Quem não nascer do Alto não pode ver o Reino de Deus … quem não renascer da água de do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. O que nasceu da carne é carne; o que nasceu do Espírito é espírito (Jo 3,3.5). Pedro inaugurou a pregação apostólica no dia de Pentecostes dizendo ao povo: Arrependei-vos e que cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão dos pecados (At 2,38).

Paulo explicou ao carcereiro, depois de sua libertação: “Crê no Senhor e serás salvo, tu e a tua família”. Imediatamente (o carcereiro) recebeu o Batismo com todos os seus (At 16,31-33). O mesmo Paulo ensina na Carta aos Romanos: Batizados (ou seja, banhados) em Cristo Jesus, é na sua morte que somos batizados (ou seja, mergulhados). Portanto, pelo Batismo fomos sepultados com ele (Jesus) na morte para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também nós vivamos a vida nova (Rm 6,3-4).

A palavra de Deus e sua promessa unem-se ao elemento água no Batismo: temos um sinal que realiza o que anuncia. Isto é, temos um sacramento. O Batismo é o sacramento que abre as portas do Reino. Só pode receber os outros 6 sacramentos quem for batizado.

Assim como o banho dado ao recém-nascido é necessário para a sua sobrevivência, e é um gesto de cuidado, de amor, de acolhida na família humana, assim o Batismo, o banho cristão, é um gesto de amor e acolhida de Deus em sua família: No dia em que nasceste (disse o Senhor), foste atirada no mato, tal a indiferença que te mostraram. Ao passar junto de ti, eu te vi estrebuchar no teu próprio sangue e eu te disse: “Vive!’ … Banhei-te com água, lavei o teu sangue, ungi-te com óleo” (Ez 16,5-6.9).

144 Qual é o rito essencial do Batismo?

O rito essencial do Batismo consiste em derramar a água sobre a cabeça do batizando, dizendo: Eu te batizo em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mt 28,19). Pode-se também mergulhar o batizando na água.

145. Quais são os frutos do Batismo?

No Batismo somos adotados filhos de Deus e feitos membros do Corpo de Cristo, que é a Igreja. A Sagrada Escritura expressa com diferentes termos esta graça batismal: os batizados são renascidos (Jo 3,3); iluminados (Fl 3,15); incorporados, libertados, santificados (Rm 6,1-23), etc.

146.Além disso, que outro efeito tem o Batismo?

A Igreja ensina que o sacramento do Batismo imprime uma marca definitiva, um selo (também se diz que imprime caráter). Sendo o Batismo obra do Espírito Santo em nós (ver Jo 3,3.5) somos marcados com o selo do Espírito como o próprio Cristo, a quem o Pai marcou com o seu selo (Jo 6,27). Com efeito: Aquele que nos fortalece convosco em Cristo e nos dá a força é Deus, o qual nos marcou com um selo e colocou em nossos corações o penhor do Espírito (2Cor 1,21-22). Também: Nele (em Cristo) também vós, tendo ouvido a palavra da verdade – o Evangelho da vossa salvação – e nela tendo crido, fostes selados pelo espírito da promessa, o Espírito Santo, que é o penhor da nossa herança, para a redenção do povo que ele adquiriu para o seu louvor e glória (Ef 1,13-14).

Porque o Batismo marca, sela o cristão no Espírito de Jesus, a Igreja ensina que o Batismo só é ministrado uma única vez e não pode ser repetido (a não ser em caso de séria dúvida!).

A Igreja reconhece o Batismo dado pelos irmãos separados nas diversas denominações evangélicas (“protestantes” e “crentes”) e não o repete, quando um deles decide fazer-se católico. Contudo, em certos casos, por haver razões muito graves e específicas, a Igreja batiza para não deixar motivos de dúvidas na consciência do fiel e na sua própria consciência.

Abrindo a pessoa para a vida nova (Rm 6,4) no Espírito, o Batismo confere ao batizando o perdão de todos os pecados passados.

147. Que acontece com os não-batizados? Eles também podem ser salvos?

Sim, eles também podem ser salvos, se deixam de ser batizados sem culpa própria. Este, por exemplo, é o caso de pessoas que se preparavam para receber o Batismo e morreram antes, muitas vezes até martirizadas (o chamado batismo “de sangue”). É também o caso de pessoas que viveram suas convicções com boa vontade, ou pertencendo a outras religiões, ou até mesmo, como ateus. É a situação das crianças e outras pessoas inocentes. E também, de pessoas que procuravam a Deus de coração sincero (o chamado batismo “de desejo”), sem terem chegado ao Sacramento do Batismo.

Como Senhor disse, ele tem outras ovelhas que não são deste rebanho (ver Jo 10,16).

Contudo, devemos ter grande zelo em alcançar a graça do Batismo para todos, para não sermos do número dos servos maus e preguiçosos (Mt 25,26), escondendo o talento que nos foi confiado: Ide fazer discípulos entre todos os povos. Batizai-os, em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e ensinai-lhes a cumprir tudo o que vos mandei. Eu estarei convosco até o fim do mundo (Mt 28,19-20).

148. Por que batizamos as crianças inocentes se elas não tem pecado e também não podem crer?

Porque todos pecaram e todos estão privados da glória de Deus e são justificados gratuitamente por sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus (Rm 4,23.24). Todos pecamos em Adão: Eis porque por um só homem o pecado entrou no mundo, e com o pecado a morte, e assim a morte passou a todos os homens, pois todos pecaram … pela falta de um só resultou a condenação de todos os homens, do mesmo modo , pela justiça de um só, resultou para todos os homens a justificação que traz a vida (ver Rm 5,12-20).

Assim, as crianças, mesmo não tendo cometido pecados pessoais, pertencem à humanidade pecadora e necessitam da graça de Cristo. Não podemos negar-lhes esta graça quando a família ou um responsável por sua criação e educação procura a Igreja. Quando levaram crianças a Jesus para que as tocasse, e alguns queriam impedi-lo, o Senhor ficou indignado e disse: Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus (Mc 10,14). Por isso as criancinhas são apresentadas pelos Pais e Padrinhos e batizadas na Fé que anima a Igreja de Deus.

Já nos primeiros tempos, a Bíblia atesta que as famílias (ou seja um homem e toda a sua casa) eram batizadas inteiras (ver At 16,15.33; 18,8; 1Cor 1,16), isto é, sem excetuar ninguém.

149 Que se deve fazer em caso de urgência e risco iminente de morte?

Em caso grave e urgente, qualquer pessoa – mesmo não-batizada – pode derramar água no batizando, dizendo: Eu te batizo em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. A pessoa que batiza deve ter a boa intenção de fazer o que a Igreja faz. Quando o perigo passar, deve-se levar o batizado ao Pároco para que realize os outros ritos e o registre no livro dos batismos. Na Igreja, quando alguém quer receber o sacramento do matrimônio ou ser crismado, ou receber as ordens, deve ter a atestado de batismo. Se falta este, precisa ter testemunhas idôneas de que foi batizado. Em caso de permanecer a dúvida, o Batismo é dado “sob condição”.