Coisas da Bíblia: Os Milagres no Êxodo
abril 17, 2013
No Monte Sinai
abril 17, 2013

O deserto: lugar da Providência de Deus

desertoQue os ricos têm sérias dificuldades para compreender Deus e a sua Providência, já disse Jesus: “É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino dos Céus” (Mt 19,24).

Mas é bem provável que um rico, tendo de cruzar o deserto e sobreviver à custa de ralos pastos e magros rebanhos, se sentisse pobre e “tentado” a crer na divina Providência. Os hebreus em fuga eram pobres! Souberam ver naquilo que parece ao homem bem alimentado coisa desprezível o dom da Mão divina.

Assim o famoso “maná” (Ex 16): até hoje os beduínos nômades do deserto do Sinai aproveitam o “man”, resina de um arbusto da área (“tammarix mannifera”) e não só para comer imediatamente – pois o calor do sol a dissolve – mas para a extração de perfume, bebidas alcoólicas, confeitaria. As codornizes (também Ex 16) sobrevoam o Sinai em duas grandes migrações anuais. Certamente, apesar desses bom bocados, a dieta dos povos do deserto é muito austera para nosso gosto, mas é um fato de que eles sobrevivem daquilo que a terra seca dá e com boa saúde… E, no caminho há oásis, como “Elim”, “Árvores”, “com 12 fontes e 72 palmeiras” (Ex 15,27)!
Mesmo ao pé do Monte, que se acredita seja o Sinai, existe um belo oásis, há séculos habitado por monges cristãos do Mosteiro de Santa Catarina.

De um jeito ou de outro, os nômades do deserto, encontram água. Às vezes amarga, ou salobra, como as de Mará (Ex 15,22-25). Mas também conhecem o “crespino”, arbusto, cujas bagas podem torná-la tolerável. Em lugares aparentemente sem água, a rocha calcária pode guardá-la (ver Ex 17,1-7), o que não impede que o guia de uma grande caravana possa ter medo de não encontrá-la, como aconteceu a Moisés…

Assim, quando, a partir de vários relatos guardados no coração do povo, o Livro do Êxodo foi, afinal, escrito, sua lição estava clara: “Eu sou o Senhor Deus, Aquele que cura” (Ex 15,26).