O Espírito é Deus e falou pelos profetas
abril 18, 2013
A Igreja de Jesus criada pelo Espírito: Povo de Deus e Corpo místico de Cristo
abril 18, 2013

O Espírito Santo: seus símbolos bíblicos e sua obra, a Igreja

105. Quais são os símbolos bíblicos do Espírito Santo?

. A água: Jesus diz que só podemos renascer e entrar no Reino de Deus pela água e pelo Espírito (Jo 3,4-5). Por isso temos de ser batizados, isto é, banhados em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo (Mt 28,19). O Espírito é a Água Viva, dom de Jesus, que jorra do seio de quem crê: No último dia da festa (dos Tabernáculos), o mais solene, Jesus de pé (no Templo) proclamou em alta voz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba quem crê em mim! … Do seu seio jorrarão rios de Água Viva!” Ora, Ele falava do Espírito Santo que deviam receber aqueles que tinham crido n’Ele” (Jo 7,37.38). O Espírito Santo é, portanto, o Rio de Água Viva que alegra a cidade de Deus com os homens, a Jerusalém celeste (Ap 22,1). Ele é a Fonte de Água Viva da qual Jesus glorioso dá de beber gratuitamente (Ap 21,6).

· A unção: a unção com o óleo é, no grego do Novo Testamento, chamada de “crisma”. Daí que Jesus é chamado o Messias, em hebraico, o Cristo, em grego, o Ungido ou o Crismado, em português: Sabeis o que aconteceu por toda a Judéia: Jesus de Nazaré, começando pela Galiléia, depois do batismo proclamado por João, Deus ungiu com o Espírito Santo e o poder a Ele, que passou fazendo o bem … (At 10,36-38). Por nosso lado, nós somos ungidos como outros Cristos, cristãos, membros do Seu corpo: Aquele que nos fortalece convosco na fé e nos dá a unção é Deus (2 Cor 1,21). Por isso, no Batismo, não somente somos banhados, mas também ungidos.

· O fogo: a água significa o nascimento e a fecundidade da vida e a purificação, dons do Espírito de Jesus; a unção significa o ofício real, sacerdotal e profético do cristão no Espírito Santo; e o fogo significa a força do amor na atuação do mesmo Espírito. O profeta Elias, com sua oração, atraiu o fogo do céu (1Rs 18,38-39). Ora, João Batista, que andava diante do Senhor com o espírito e o poder de Elias (Lc 1,17), anunciou que o Cristo Jesus batizará com o Espírito Santo e o fogo (Lc 3,16). Por isso o Batismo é também iluminação, e se dá ao batizando ou aos seus pais e padrinhos a vela acesa no grande Círio Pascal, significando a Luz de Cristo. Em Pentecostes o Espírito se manifesta não só como um Vento impetuoso, mas como línguas de fogo (At 2,3). O Espírito Santo é este fogo de caridade e amor que Jesus disse que queria que incendiasse toda a terra: Vim trazer fogo à terra, e quanto desejaria que já estivesse aceso! (Lc 12,49). Não é um fogo de vingança e destruição, pois este fogo Jesus negou aos discípulos: Tiago e João disseram: “Queres que mandemos descer um fogo do céu para destrui-los?” Ele, porém, voltando-se, repreendeu-os. E partiram para outro povoado (Lc 9,54).

· A nuvem: o Espírito vem sobre Maria para gerar o Cristo Jesus como uma nuvem (Lc 1,35). Nós o reconhecemos, assim, na nuvem que encobriu Jesus, Moisés e Elias na Transfiguração, e de onde saiu a voz do Pai (Lc 9,32-35); na nuvem da Ascensão, que encobriu Cristo dos olhares dos discípulos (At 1,9) e na nuvem que O trará de novo a com toda a glória (Lc 21,27). A nuvem também lembra a chuva, a água que acaba com a seca e dá fecundidade à terra.

· O selo, como disse São Paulo:(Deus) nos marcou com o seu selo, depondo em nossos corações o penhor do Espírito (2 Cor 1,22). Cristo é marcado com o selo de Deus (Jo 6,27). Assim, como o Cristo, fomos marcados com o selo do Espírito prometido, o Espírito Santo, adiantamento (primícias) de nossa herança, até a libertação final em que dela tomaremos posse para o louvor de Sua glória (Ef 1,13.14). Ou, como lemos adiante: Não entristeçais o Espírito Santo, com o qual Deus vos marcou como com um selo para o dia da libertação (Ef 4,30). Por isso a Igreja ensina que o Batismo, a Crisma e a Ordem “imprimem caráter”, isto é, nos selam com o selo do Espírito para o louvor do Pai.

· A mão e o dedo são outros símbolos que expressam a ação do Espírito: “a doutrina da imposição das mãos” é considerada uma das mais importantes e fundamentais da fé cristã (Hb 6,2), pois Jesus abençoava impondo as mãos (Mc 10,16), e ensinou os Apóstolos a fazerem o mesmo (Mc 16,18). Ora, é pela imposição das mãos dos Apóstolos que o Espírito é dado: Pedro e João começaram a lhes impor as mãos, e os samaritanos recebiam o Espírito Santo. Mas Simão, vendo que o Espírito Santo era dado pelas mãos dos Apóstolos ofereceu-lhes dinheiro, dizendo: Concedei-me a mim também este poder a fim de que aqueles a quem eu impuser as mãos recebam o Espírito Santo. Mas Pedro replicou: “Pereça o teu dinheiro e tu com ele, por teres acreditado que podias comprar por dinheiro o dom gratuito de Deus” (At 8,17-20; ver também At 13,3; 19,6).

· Espírito é também comparado ao dedo de Deus: É pelo dedo de Deus que Jesus expulsa os demônios (Lc 11,20).

· A pomba: pois o Espírito Santo se manifestou no Batismo de Jesus na forma de uma pomba (Mt 3,16).

106 . Quando o Espírito foi dado à Igreja?

Especialmente no dia de Pentecostes, quando os discípulos perseveravam unânimes na oração com Maria, Mãe de Jesus (At 1,14): Tendo chegado o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte, que encheu toda a casa onde se encontravam. Apareceram, então, línguas como de fogo, repartidas e pousadas sobre cada um deles. E todos ficaram repletos do Espírito Santo e começaram a falar outras línguas, conforme o Espírito concedia que se exprimissem (At 2,1-4).

107 Por que o Livro dos Atos dos Apóstolos é chamado de “Evangelho do Espírito Santo”?

Porque os Atos dos Apóstolos sublinham constantemente a ação do Espírito Santo na vida da Igreja.

108 Qual é a ação do Espírito Santo na vida da Igreja?

· A Igreja nasce da intervenção do Espírito Santo no Pentecostes: Exaltado (Jesus) à direita de Deus, ele recebeu do Pai o Espírito Santo prometido e o derramou, como estais vendo e ouvindo (At 2,33)
· O Espírito age pela Palavra de Deus, também escrita, a Bíblia: Antes de mais nada, sabei disto: nenhuma profecia da Escritura resulta de uma interpretação particular, pois que a profecia jamais veio por vontade humana, mas os homens, impelidos pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus (2Pe 1,20-21).
· Ele age na conversão e no batismo para o perdão dos pecados: Convertei-vos! Receba cada um de vós o batismo para a remissão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo (At 2,38)
· Ele age no testemunho dos Apóstolos: Nós somos testemunhas destes acontecimentos, nós e o Espírito Santo que Deus concedeu aos que lhe obedecem (At 5,32).
· Na oração: O Espírito socorre nossa fraqueza, pois não sabemos rezar como convém, mas o próprio Espírito intercede por nós em gemidos inefáveis (Rm 8,6).
· Na capacidade de chamar Deus de Pai: E porque sois filhos, enviou Deus aos nossos corações o Espírito do seu Filho que clama em nós ABBÁ! Meu Pai! (Gl 4,6).
· Pela força de crescimento da família de Deus, a Igreja, e do homem interior: Dobro os joelhos diante do Pai, de quem toda a família recebe o seu nome no céu e sobre a terra: que ele se digne, segundo a riqueza da sua glória, armar-vos de poder, por seu Espírito, para que se fortifique em vosso interior (Ef 3,15.16).
· Na obra da unidade: Aplicai-vos em guardar a unidade do espírito pelo laço da paz. Há um só corpo e um só Espírito, do mesmo modo que a vossa vocação vos chamou a uma só esperança; um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos (Ef 4,3-6). Os fieis são batizados para formar um só corpo, embebidos pelo Espírito: Pois todos nós fomos batizados num só Espírito para formarmos um só corpo, judeus ou gregos, escravos ou homens livres, e todos nós bebemos de um único Espírito … ora vós sois o corpo de Cristo (1 Cor 12,13.27).
· Pelos dons e carismas: A respeito das manifestações do Espírito não quero, irmãos, que fiqueis na ignorância … Há diversidade de dons da graça, mas o Espírito é o mesmo. Diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. Diversos modos de ação, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos. A cada um é dado o dom de manifestar o Espírito em vista do bem de todos. A este o Espírito á uma mensagem de sabedoria. A outro, de conhecimento conforme o mesmo Espírito. A um o mesmo Espírito dá a fé. A aquele outro o único Espírito dá o dom de cura. A outro, o poder de operar milagres. A outro o de profetizar. A outro, discernir os espíritos. A outro ainda o dom de falar línguas; enfim, a outro, o dom de as interpretar. Mas tudo isso é o único e mesmo Espírito que o realiza, concedendo a cada um diversos dons pessoais, segundo a sua vontade … E o que Deus dispôs na Igreja são, primeiro, apóstolos; segundo profetas; terceiro os encarregados do ensino (“doutores”)… (1Cor 12,1-11.28).
· Espírito dirige a Igreja nas grandes decisões: O Espírito Santo e nós mesmos decidimos não vos impor nenhuma outra obrigação … (At 15,28; ver também At 13,2 e 20,28).
· Enfim, o Espírito Santo atua em toda a vida da Igreja como se pode aprender por experiência, ouvindo o ensino da Igreja mesma e lendo as Escrituras, em particular os Atos e as Epístolas.