Uma homenagem a São João Paulo II
setembro 2, 2017
Dificuldades reais da vida do casal: o divórcio é solução?
setembro 7, 2017

O Profeta Elias confronta os reis infiéis

Original artwork for illustration that appeared on p10 of issue no 7 (18 April 1964) of The Bible Story, depicting Elijah denouncing King Ahab for murdering Naboth, the owner of the vineyard.

O Profeta Elias – 1

 

(1Rs 16-21)

 

Abias, sucessor de Roboão, continuou servindo aos ídolos. Mas, “em consideração a Davi, o Senhor seu Deus  lhe deixou uma lâmpada em Jerusalém, dando-lhe descendentes e conservando Jerusalém” (1Rs 15,4). Sucedeu-lhe Asa, neto, por sua mãe, de Absalão, o filho rebelde de Davi. Ele restaurou o culto do Templo e aboliu os lugares altos, dedicados aos ídolos. Com o que pôde reunir de ouro e prata no Templo, comprou o apoio dos sírios de Damasco, dando fôlego ao Reino de Judá, e lhe permitindo destruir edificações militares do rival do norte e, por sua vez, criando fortalezas na fronteira. Para mais notícias, como de hábito, somos remetidos aos Anais do Reino de Judá e seu filho Josafá reinou em seu lugar” (1Rs 16,24).

 

Há uma breve notícia sobre o sucessor de Jeroboão, Nadab, “que imitou seu pai e os pecados que ele fizera Israel cometer” (1Rs, 16,25-26). Uma conspiração, liderado por Baasa o derrubou do trono e o matou, com toda a descendência de Jeroboão, “sem deixar ninguém vivo”. Mas “imitou Jeroboão e os pecados que este fizera Israel cometer” (ver 1Rs 16,25-31).

 

Então, o Senhor interveio e “dirigiu a palavra a Jeú, filho de Hanani, contra Baasa”. Foi um oráculo anunciando a destruição da nova dinastia de Baasa, erguida sobre a destruição da família de Jeroboão. A profecia repetida se cumpriu. Foram tristes tempos de guerras entre os reinos irmão do norte e do sul, conspirações, chacinas e idolatria. Finalmente, um caudilho mais capacitado, humanamente, assumiu o trono de Israel, Acab, reinando por 22 anos, mas continuando a favorecer os ídolos e seus costumes terríveis, censurados pela Lei e pelos Profetas, como a prostituição ritual e os sacrifícios humanos (ler o capítulo 16, e o comentário final – 1Rs 16,34, sobre sacrifícios humanos).

 

E o Senhor mandou um grande profeta, Elias, natural de Tesbi, de Galaad, que confrontou Acab:

 

“Pelo Senhor, Deus de Israel, a quem sirvo, nestes anos não cairá nem orvalho nem chuva, se eu não o ordenar” (ver 1Rs 17,1).