Uma dona de bordel na História da Salvação: Raab
maio 17, 2015
Teresinha, Faustina, João Paulo II, Bento XVI e Francisco rezam conosco a Misericórdia
maio 21, 2015

O Sacramento da Crisma, ou da Confirmação: origem bíblica, etc.

150 O sacramento da Confirmação ou Crisma tem origem apostólica atestada pelas Escrituras? Qual a sua finalidade?

Sim, as Escrituras já atestam a confirmação, distinta mas ligada ao Batismo. O Autor da Carta aos Hebreus, quando apresenta uma breve relação dos pontos fundamentais e elementares da fé, menciona o rito essencial da confirmação, a imposição das mãos, juntamente com o rito do batismo: o arrependimento das obras mortas e a fé em Deus, a doutrina sobre o batismo e a imposição das mãos, a ressurreição dos mortos e o julgamento eterno (Hb 6,1.2).

Nestes dois exemplos seguintes, os Apóstolos, tendo presente o uso que Jesus fazia da imposição das mãos, julgaram necessário impor as mãos nos discípulos já batizados, para conferir particularmente o dom do Espírito Santo:

• Em Éfeso, Paulo impõe as mãos a discípulos já batizados e eles começaram a profetizar e falar em línguas, efeitos do dom do Espírito Santo no dia de Pentecostes (ver At 19,1-7 e At 2,3).
• Outro caso muito claro da imposição das mãos para conferir o Espírito Santo a pessoas já batizadas aparece no relato da evangelização da Samaria:
Os Apóstolos que estavam em Jerusalém, tendo ouvido dizer que a Samaria acolhera a Palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João, que, descendo até lá, oraram por eles, a fim de que recebessem o Espírito Santo, pois este não havia caído sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em Nome do Senhor Jesus. Então, começaram a impor-lhes as mãos, e eles recebiam o Espírito Santo (At 8,14-17).

A Confirmação é, portanto, um verdadeiro sacramento, um sinal ( a imposição das mãos), que está ligado ao dom do Espírito Santo, para que o cristão se expresse na comunidade com o ímpeto missionário de Pentecostes e a capacidade de participar no anúncio do Evangelho desde Jerusalém até os confins do mundo como testemunhas de Cristo (ver At 1,8).

A Confirmação é considerada como um sacramento da idade adulta do cristão, e, na Igreja Católica Romana vem sendo dado apenas a jovens e adultos, par melhor expressar esta realidade. Nas Igrejas do Oriente cristão, ela costuma ser conferida juntamente com o batismo, seja de crianças, seja de adultos.

Como o Batismo já é realizado na água e no Espírito Santo, esta imposição das mãos recebeu o nome de sacramento da confirmação. Mas também é chamada de crisma, porque a imposição das mãos se faz com o óleo bento, ou seja, o crisma. Este óleo é perfumado e abençoado pelo Bispo e tem forte simbolismo tradicional e bíblico. Ele expressa a abundância (Dt 11,14), a alegria (Sl 23/22,5; 104/103,15), a cura e salvação (Is 1,6; Lc 10,34), a missão (1 Sm 10,1; 16,13), dons do Espírito do Cristo, isto é, do Ungido.

Recordando como os Apóstolos iam pessoalmente confirmar os batizados com a imposição das mãos e o dom do Espírito, até hoje os Bispos costumam ir à Paróquias para crismar, isto é, dar o sacramento da Crisma. Contudo, quando o Bispo não tem como atender a todos os casos, ele pode enviar um Padre em seu lugar.

O óleo bento, chamado “o” crisma, é misturado com perfume para expressar ao crismando que ele é o bom perfume de Cristo (2Cor 2,15).

Note bem: “O” crisma é o óleo e “A” crisma é o sacramento!

151. Qual o rito essencial da Confirmação ou Crisma?

Na Igreja Romana está definido que o rito essencial é a imposição das mãos na fronte do crismando com a unção do óleo do crisma, enquanto é dito: Recebe o selo do dom do Espírito Santo.

152. A Crisma pode ser repetida?

Não, pois como o Batismo, o dom do Espírito é um dom do Deus fiel que não volta atrás na Sua palavra, e o confirmado recebe o selo do Espírito.