Os Livros de Samuel I e II
novembro 18, 2016
Rute, Booz: “avós” do Messias!
novembro 19, 2016

Os santos Pais do Batista

Os santos pais de São João Batista: Zacarias e Isabel

Santos Isabel e Zacarias

5 de novembro

Pais de São João Batista, não há dia em que suas palavras inspiradas não sejam recordadas na Igreja em redor do mundo. A saudação de Isabel à Virgem Maria faz parte da Ave Maria, prece repetida milhões de vezes por milhões de pessoas: “Bendita és tu entre as mulheres! Bendito é o fruto do teu seio! (Lc 1,42). Seu marido, São Zacarias, entoou o famoso hino de louvor: “Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e libertou seu povo, e fez surgir para nós um Salvador poderoso, na Casa de Davi, seu servidor!” (Lc 2,68-69). Este cântico é repetido, cada dia, na Oração das Horas, Laudes, engrandecendo a missão de Jesus, que foi enviado “para iluminar os que vivem nas trevas e na sombra da morte, e para dirigir nossos passos no caminho da paz!” (Lc 2,79).

Parece que eles moravam em Ain Karim, localidade da tribo de Judá, não muito longe de Jerusalém. Lucas narra como, indo ao Templo, onde devia exercer nobre e rara função litúrgica de queimar incenso no Santuário, foi surpreendido pela manifestação do Arcanjo Gabriel, à direita do altar do incenso, que lhe revelou como a esterilidade de Isabel cessaria, dando a eles um filho, que deveria receber o nome de João (ver Lc 1,11-17). Este nome – consta – significa “Javé deu”, ou “Javé é cheio de graças”, ou “Javé é misericordioso” *. Enfim, é um nome que define o menino como alguém abençoado. Não resta dúvida que alguém escolhido para ser o Precursor do Messias, o batizador de Jesus e o último dos grandes Profetas de Israel é mais do que bendito!

Não podemos esquecer que foi na casa dos Santos Isabel e Zacarias que Nossa Senhora cantou seu hino de gratidão e louvor: “Minh’alma engrandece o Senhor, exulta meu espírito em Deus, meu Salvador” (ver Lc 1,46-55), também repetido diariamente na prece das Vésperas, e que tem inúmeras versões cantadas, muitas delas no Brasil. E foi lá que a Virgem Santíssima ficou “cerca de três meses com Isabel, e, depois, voltou para sua casa”, em Nazaré (Lc 1,56).