OS IRMÃOS DE JESUS E OS VERDADEIROS FILHOS DE MARIA
abril 18, 2013
Ressuscitou e subiu aos céus
abril 18, 2013

Padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado

81. O que significam as palavras do Credo padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado?

Significam que o Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras (1 Cor 15,3), condenado pela sentença injusta de Pôncio Pilatos. É o mistério de nossa Redenção: Deus vos deu a vida com ele (Jesus Cristo), perdoando-nos de todos os nossos pecados. Cancelou o título de dívida com suas cláusulas contra nós. Ele o anulou, pregando-o consigo na cruz. Ele despojou as Autoridades e os Poderes e os expôs publicamente em espetáculo, levando-os atrás de si em cortejo triunfal (Cl 2,13-14). Quer dizer: Jesus pagou a dívida imensa que contraímos com o Pai pela ingratidão de nossos pecados. Agora, basta-nos aceitar o Seu dom de amor gratuito e misericordioso.

82. O que é “o mistério de nossa Redenção”?

É o mistério de nossa reconciliação com Deus pelo Cristo: Tudo vem de Deus, que nos reconciliou consigo pelo Cristo e nos confiou o ministério da reconciliação. Pois de qualquer forma, era Deus que, em Cristo, reconciliava o mundo consigo, não atribuindo aos homens as suas faltas, e pondo em nós a palavra da reconciliação … Deixai-vos reconciliar com Deus! Aquele (Jesus) que não conhecera o pecado, ele (Deus) o identificou com o pecado, por nós, a fim de que por ele nos tornemos justiça de Deus (2 Cor 5,18-21). A justiça de Deus é assim: força misericordiosa que torna justo o que é injusto, endireita o que está torto e dá vida ao que está morto.

83. O mistério da redenção é o mistério do amor de Deus?

Sim: o mistério de nossa redenção é o mistério do incompreensível amor de Deus por nós e por toda a obra da Criação: Ele (Cristo) não cometeu pecado e em Sua boca não se encontrou falsidade. Insultado, não retribuía os insultos. Em seu sofrimento não ameaçava, mas submetia-se àquele que é o Justo Juiz. Ele, em seu próprio corpo, carregou os nossos pecados sobre o madeiro (da cruz), a fim de que, mortos para os nossos pecados, vivamos para a justiça. Por Suas chagas nós fomos curados. Andáveis como ovelhas desgarradas, mas agora vos voltastes para o pastor e guardião de vossas almas (1 Pe 2,22-25).

Na situação de dor e morte, lá onde a malícia humana pensava que vencia crucificando Jesus, Jesus venceu amando até o fim (Jo 13,1). Venceu o mal com o bem (Rm 12,21).

84. O que revela o mistério da redenção?

O mistério de nossa redenção é o mistério de amor de Deus, misericórdia e compaixão: Deus é amor. Eis como se manifestou o amor de Deus entre nós: Deus enviou seu Filho Único ao mundo, para que vivêssemos por meio dele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi Ele quem nos amou e nos enviou o seu Filho como vítima de expiação pelos nosso pecados. Caríssimos, se Deus nos amou a tal ponto, nós também devemos amarmos uns aos outros (1 Jo 4,8-11).

85. Como Jesus falou do mistério da redenção?

O mistério de nossa redenção é o mistério do Bom Pastor: Eu sou o Bom Pastor: o Bom Pastor dá própria vida por suas ovelhas … Ninguém me tira vida, mas eu mesmo a dou. Tenho o poder de dar vida e o poder de a retomar. Este é o mandamento que recebi do meu Pai … As minhas ovelhas escutam a minha voz e eu as conheço e elas me seguem, e eu lhes dou a vida eterna, Elas nunca perecerão e ninguém poderá arrancá-las de minha mão. O meu Pai que as deu a mim é maior que tudo, e ninguém tem o poder de arrancar coisa alguma da mão do meu Pai. Eu e o Pai somos um (Jo 10,11.18.27-30).

Na verdade, Jesus é quem nos redime de todo nosso ódio, mentira, assassinato e maldade, perdoando-nos na sua Cruz (Lc 23,24). Ali o amor venceu o ódio.

86. O que queremos dizer quando confessamos no Credo que Cristo Jesus desceu à mansão dos mortos?

Queremos afirmar a nossa fé de que Jesus morreu realmente, derrotando o poder da morte (Hb 2,14): Porque Cristo morreu uma só vez por nossos pecados, ele, o justo pelos injustos, a fim de vos conduzir a Deus. Mortificado em sua carne, Ele foi restituído à vida pelo Espírito! Assim foi pregar aos espíritos que estavam na prisão, aos que tinham sido rebeldes no passado, quando Deus contemporizava com paciência … (1 Pe 3,18-20).