Novidades Loyola 18.09.12: “História do pensamento judaico-helenístico”
setembro 18, 2013
Resposta do Papa Francisco à interpelação de um ateu miitante
setembro 24, 2013

Palavras do Papa: “Sigam em frente! Façam barulho!”

Palavras do Papa

Sigam em frente! Façam barulho!

Este é um texto que não teve repercussão na mídia, nem mesmo católica. Mas faz bem conhecê-lo!

Saudação do papa Francisco aos jovens peregrinos da diocese de Piacenza-Bobbio na Basílica de São Pedro (28.08.13)

Obrigado por esta visita!

O bispo disse que fiz um grande gesto vindo aqui. Mas eu o fiz por egoísmo. Vocês sabem por quê? Porque gosto de estar com vocês! E isto é egoísmo.

Por que gosto de me encontrar com os jovens? Porque vocês têm nos corações uma promessa de esperança. Vocês são portadores de esperança. Vocês, é verdade, vivem no presente, mas olham para o futuro. Vocês são artífices do porvir, artesãos do futuro. Depois — e esta é a vossa alegria — é bom ir rumo ao futuro, com as ilusões e tantas coisas bonitas — e é também a responsabilidade de vocês: tornarem-se artesãos do futuro!

Quando me dizem: «Mas, Padre, que época ruim é esta! Não podemos fazer nada!». Como, não podemos fazer nada? Digo que podemos fazer muito! Mas quando um jovem me diz: «Que época ruim é esta, Padre, nada podemos fazer!». Então, eu o mando consultar um psiquiatra! Porque, é verdade, não se compreende! Não se entende um jovem, um rapaz, uma moça, que não quer realizar algo grande, apostar nos grandes ideais do futuro. Depois, farão o que puderem, mas a aposta é pelas realidades grandes e boas. E vocês são artesãos do futuro. Por quê? Porque, dentro, vocês conservam três desejos. Primeiro, o da beleza. Vocês gostam da beleza e quando fazem música, teatro, pintura — manifestações de beleza — estão buscando aquela beleza, são buscadores de beleza. Segundo: vocês são profetas da bondade. Vocês amam a bondade, serem bons. E esta bondade é contagiosa, ajuda a todos os outros. E, terceiro, vocês têm sede de verdade: buscar a verdade. «Mas, Padre, eu possuo a verdade!». Mas, cometem um erro, porque a verdade não se pode possuir, não a trazemos em nós, nós a encontramos. É um encontro com a verdade, que é Deus, mas é preciso procurá-la.

E estes três desejos, que vocês têm no coração, devem levá-los em frente, para o futuro, e concretizarem o futuro com a beleza, com a bondade e com a verdade.

Entenderam? Este é o desafio: o desafio de vocês! Mas se vocês forem preguiçosos, tristes — é horrível um jovem triste — se forem tristes aquela beleza não será beleza, a bondade não será bondade, nem a verdade será verdade…

Pensem bem nisto: apostar num grande ideal, o ideal de construir um mundo de bondade, beleza e verdade! Vocês podem fazê-lo, têm o poder de fazê-lo. Se não o fizerem, é por preguiça. Queria dizer isto a vocês.

Queria dizer isto e também: coragem, sigam em frente, façam barulho! Onde estiverem jovens deve haver barulho! Depois, as coisas se ajustam, mas a ilusão de um jovem é fazer barulho sempre. Vão em frente! Na vida existirão sempre pessoas que farão propostas para desacelerar, para bloquear o caminho de vocês. Por favor, remem contra a corrente. Sejam corajosos, corajosas: sigam contra a corrente. Podem ouvir: «Não, mas isto, mas aquilo… toma um pouco de álcool, usa um pouco de droga». Não! Vão contra a corrente nesta civilização que nos faz muito mal!

Entenderam? Vão contra a corrente; e isto significa fazer barulho, ir em frente, mas com os valores da beleza, da bondade e da verdade. Queria dizer isto a vocês. Desejo-lhes todo o bem, bom trabalho, alegria no coração: jovens alegres! E por isso, eu lhes dou a Bênção. Mas antes, todos juntos, rezemos a Nossa Senhora que é a Mãe da beleza, a Mãe da bondade e a Mãe da verdade, para que nos dê a graça da coragem, porque Nossa Senhora é corajosa, esta mulher tinha coragem! Era boa, boa, boa! Peçamos a ela, que está no Céu, que é a nossa Mãe, que nos dê a graça da coragem para irmos em frente e contra a corrente. Todos juntos, como estais, assim, rezemos uma Ave-Maria a Nossa Senhora.

E peço que vocês rezem por mim, porque este trabalho é «insalubre», não faz bem… Rezem por mim!