29 de janeiro: a Igreja reza pelos protegidos de São Damião de Molokai
Janeiro 26, 2017
O Vaticano já fala sobre o muro de Trump
Janeiro 27, 2017

Papa Francisco: ficar com raiva de Deus! – 24.01.17

"Hein?"

“E se nós ficamos com raiva de Deus? Ele fica contente, se somos sinceros”

O Papa Francisco na homilia em Santa Marta: discutir com o Senhor é rezar, “quando se lhe diz face a face o que se sente, o que é também dizer ‘Estou aqui’ à Sua Vontade. O importante é não fingir. Estar a serviço de Deus não significa não discutir com Deus. Podemos até nos irarmos com Ele. O que importa é sermos sinceros, verdadeiros, não fingidos, e, finalmente lhe dizer: ‘Estou aqui!’”. Assim falou o Papa Francisco na homilia da manhã de 24 de janeiro de 2017 na capela da Casa Santa Marta

PUBLICADO EM 24 DE JANEIRO DE 2017

DOMENICO AGASSO JR
CITTÀ DEL VATICANO

 

Segundo reportagem da Rádio Vaticana, o Santo Padre baseou sua pregação sobre o texto da Carta aos Hebreus da liturgia diária. Quando Jesus chegou a esta terra, disse: “Tu não quiseste e não Te agradaram os sacrifícios, ofertas, holocaustos e sacrifícios pelo pecado. Eis que Eu venho fazer Tua vontade”. Estas palavras de Cristo coroam uma história de “Eis me aqui”, ligados entre si: “A história da salvação – prosseguiu o Papa – é uma história de ‘Eis me aqui!’. Desde Adão, que se escondeu por medo de Deus, o Senhor começou a chamar e a ouvir a resposta dos que Lhe dizem: ‘Eis me aqui. Estou disposto, estou disposta’. Assim desde o ‘Estou aqui’ de Abraão, Moisés, Elias, Isaías, Jeremias até o grande e decisivo ‘Eis me aqui’ da Virgem e o ‘Eis me’, que muda a história e a vida da Humanidade: o de Jesus, o Filho de Deus”.

E o Papa explicou: “É uma história de ‘Estou aqui’, não automáticos, porque o Senhor entra sempre em diálogo com os que chama a seguir caminho e responder ‘Eis me aqui’. Ele tem tanta paciência, tanta! Quando lemos o Livro de Jó e todos os argumentos de Jó, que não compreende, e as respostas do Senhor, que lhe fala e o corrige, mas no fim há o ‘Eis me aqui’ de Jó: ‘Ah! Senhor! Tu tens razão. Eu só Te conhecia por ouvir dizer, mas agora meus olhos te viram’. O ‘Eis me aqui’ quando se diz com vontade! Hein? A vida cristã é isto: um ‘Eis me aqui’, para cumprir a vontade do Senhor. Um depois do outro! É bonito ler as Escrituras, a Bíblia, procurando as respostas das pessoas ao Senhor, como respondiam, e encontrar aquilo que é tão belo: ‘Estou aqui para cumprir Tua vontade!’”.

Francisco acentua que a liturgia de hoje nos convida a refletir em como vai o “Estou aqui” de cada um de nós a Deus: “Será que imitamos Adão e nos escondemos d’Ele par anão lhe darmos resposta? Ou, quando somos chamados pelo Senhor, em vez de lhe dizermos ‘Estou aqui, o que queres de mim?’, fugimos, como Jonas, que não queria fazer o que Deus lhe pedia? Ou fingimos cumprir Sua vontade, mas apenas exteriormente, como os doutores da Lei, cuja atitude Jesus condenou duramente? Fingiam: ‘Todo bem, nada de apelos. Faço isto e somente isto’. Ou olhamos para o outro lado, como fizeram o levita e o sacerdote diante daquele pobre homem ferido, espancado pelos assaltantes, deixado meio morto? Como cada um de nós responde ao Senhor?”

“Deus chama cada dia e exorta-me a Lhe dizer ‘Eis me aqui!’. Mas não são ordens. Podemos discutir com Ele. Até mesmo brigar! Agrada-Lhe discutir conosco. Alguém me diz: ‘Padre, tantas vezes vou rezar e me enraiveço com o Senhor!’. Mas também isto é oração! A Ele Lhe agrada que tu te irrites e Lhe digas, face a face, o que sentes, porque é Pai. Isto também é um ‘Eis me aqui!’… Ou vou me esconder? Ou fujo? Ou finjo? Ou olho para o outro lado? Cada qual pode responder com seu ‘Estou aqui!’ ao Senhor, para cumprir Sua vontade em sua vida. Que o Espírito Santo nos dê a graça de encontrar a resposta!”.