Nossa Senhora de Lurdes 11 de fevereiro
fevereiro 10, 2015
Deuteronômio: A Morte de Moisés
fevereiro 10, 2015

Quem poderá descrever o laço de caridade de Deus?

Leitura Orante da Carta aos Coríntios de São Clemente I, Papa (século I) *

– Quem tem a caridade em Cristo, que cumpra os mandamentos de Cristo! Quem poderá descrever o laço da caridade de Deus? Quem conseguirá discorrer sobre a perfeição de sua beleza? É indizível a profundeza a que nos leva a caridade, nossa união com Deus. A caridade cobre a multidão dos pecados (1Pe 4,8), a caridade tudo suporta, tudo tolera com paciência (ver 1Cor 13,1-7). A caridade não tolera a divisão, não provoca revolta. A caridade tudo faz na concórdia. Na caridade todos os eleitos de Deus são perfeitos.

Rezemos: Jesus, às vezes, temos medo de nos unirmos a Ti pelo laço da caridade, porque temos medo da Cruz. No entanto, nesta terra o sofrimento se torna suportável com a força de Tua caridade e não fugiremos dele se fugirmos de Ti, Bom Médico, alívio certo de nossas dores, ânimo e coragem nas nossas aflições

– Sem caridade, nada é aceito por Deus (ver 1Cor 13,1-3). Na caridade, Deus nos assumiu para Si. Pela caridade que tem para conosco, Nosso Senhor Jesus Cristo obediente à vontade divina, por nós entregou Seu Sangue, Sua Carne, por nossa carne, e a Sua Alma por nossa alma.

Rezemos: Bom Jesus, nós Te recebemos na Sagrada Comunhão todo inteiro: alma, corpo e sangue e divindade, humanidade e divindade, Tua Pessoa Divina, encarnada! Assumiste nossa condição humana e Te unes a nós de maneira impensável! Assim nos tornas Teus irmãos, filhos de adoção, filhos escolhidos, filhos amados do Pai Santo, Teu Pai e nosso Pai! Bendito seja Teu imenso amor, nosso imenso bem!

– Bem vedes, caríssimos, como é grande e admirável a caridade. É impossível descrever toda sua perfeição. Quem merecerá ser encontrado nela, a não ser aqueles que Deus quiser tornar dignos? Oremos, então, pedindo misericórdia, a fim de permanecermos na caridade, sem culpa e sem qualquer interesse humano. Passaram tantas gerações desde Adão até o tempo presente. Mas aqueles que, pela graça de Deus, atingiram a perfeição da caridade, alcançam um lugar sagrado e serão manifestados na vinda do Reino de Cristo.

Rezemos: Jesus, para a glória do Pai, livra-nos do mal! Não permitas que caiamos em tentação! Somos indignos, mas confiamos no Teu Coração, repleto de ternura e misericórdia! E Te bendizemos pela graça infinita da nossa Redenção!

– Porque está escrito: “Entrai por um pouco de tempo em vossos aposentos, até que passe a minha cólera e meu furor, então Eu em lembrarei dos dias bons e vos farei levantar dos vossos sepulcros”.

– Rezemos: Lembro-me, Jesus, que disseste para entrarmos no segredo de nossos quartos, de nossos corações, e falarmos ao Pai. O Pai, que ouve o que dizemos em segredo há de nos atender (Mt 6,6)! Este é o caminho da Vida e Ressurreição: a confiante entrega ao Pai!

– Caríssimos, se cumprimos os preceitos do Senhor, na concórdia e na caridade, somos muito felizes, porque, por elas, nossos pecados são perdoados. Como este escrito: “Feliz aquele cuja iniquidade foi perdoada, cujo pecado foi absolvido. Feliz o homem a quem o Senhor não argui de falta e em cujos lábios não há engano”. A proclamação desta bem-aventurança atinge os que, por Jesus Cristo Nosso Senhor, são eleitos de Deus. A Ele seja dada a glória pelos séculos sem fim. Amém!

Rezemos: Senhor Jesus, Tu me escolheste dando a Tua vida também por mim! Conserva-me no Teu amor! Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, como era no princípio, agora e sempre, amém!

* Ofício das Horas, Leituras, terça feira da 2ª Semana do Tempo Comum.