Cartas Diplomáticas do Padre Vieira; Padre Pio; O Despertar da Filosofia Moderna
dezembro 10, 2014
Cristo virá de novo! Mas quando?
dezembro 14, 2014

Santo Agostinho nos dá dicar para rezar bem – 6

StoAgostinho_coração

(Na vida feliz, a única verdadeira vida) está a fonte da vida, de que temos sede agora na oração, enquanto vivemos na esperança e ainda não vemos o que esperamos: “À sombra de Tuas asas, diante de quem está todo nosso desejo, para nos embriagarmos da riqueza de Tua casa e bebermos da torrente de Tuas delícias. Porque junto de Ti está a fonte da vida e à Tua Luz veremos a luz (ver Sl 35/36,8-10), quando se saciar de bens nosso anseio e nada mais haverá a procurar com gemidos, mas só aquilo que, no gozo, abraçaremos.

Meditando: Tu és, Divino Espírito, o esplêndido Rio de Águas Vivas que alegra a Cidade de Deus conosco (ver Ap 22,1)! Tu és a Água Viva que jorra do seio de quem crê (ver Jo 7,38)! Sê nossa alegria, a nossa vida, enquanto caminhamos para a eternidade feliz!

– Há em nós, por assim dizer, uma douta ignorância, mas douta pelo Espírito de Deus, que vem em auxílio de nossa fraqueza. Tendo o Apóstolo dito: “Se, porém, esperamos o que não vemos, aguardamos com paciência” – acrescenta: “Do mesmo modo, o Espírito vem em auxílio de nossa fraqueza, pois não sabemos orar como convém, mas o próprio Espírito intercede com gemidos inexprimíveis. Aquele que perscruta os corações conhece o desejo do Espírito, porque Sua intercessão pelos santos corresponde ao desígnio de Deus” (Rm 8,25-27).

Meditando: Divino Espírito, entra em nossos corações para que creiamos com amor e esperança! Tu é nossa força e só de Ti podemos receber sabedoria para viver como cristãos e até subir ao Calvário com Cristo Jesus e com Ele estarmos na espera da Ressurreição!

– Não de se entender com isto como se o Espírito Santo de Deus, que é Deus na Trindade imutável e com o Pai e o Filho um só Deus, interceda em favor dos santos, como aluem que não fosse o próprio Deus. Na verdade se diz: “Interpela em favor dos santos”, porque faz os santos intercederem com gemidos inexprimíveis, inspirando-lhes o desejo da maravilha ainda desconhecida, que aguardamos pela paciência. Por que e como exprimir o que se ignora? Na realidade, se se ignorasse totalmente, não se desejaria. Por outro lado, se já se visse, não se desejaria nem se procuraria com gemidos.

Meditando: Tu, meu Senhor e meu Deus, atrais, com Amor-amor, nossos corações e nos fazes andar por Ti, o Caminho. Tu não nos forças, mas chamas com suavidade. Em breve, chegaremos, e, então viveremos toda grandeza de Tua Caridade: “Agora estas três coisas permanecem: a Fé. A Esperança e a Caridade. Mas a maior delas é a Caridade” (ver 1Cor 13,13).