“Bicentenário da Restauração da Companhia de Jesus”; “Combatentes na Oração”
novembro 18, 2014
Santo Agostinho nos dá dicas sobre como rezar bem – 4
novembro 20, 2014

Santo Agostinho nos dá dicas para orar bem – 3

– Temos necessidades de palavras para incitar-nos e ponderarmos o que pediremos, mas não com a intenção de dar a saber a Deus ou de comovê-lo. Quando, portanto, dizemos: “Santificado seja o Teu Nome”; nós nos exortamos a desejar que Seu Nome – imutavelmente Santo – seja também considerado santo por todos, que não seja desprezado, o que é de proveito para as pessoas humanas, não para Deus.

Meditando: Meu Jesus, que Teu Nome seja conhecido e amado por toda terra! Que a Teu Nome, Jesus, “se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra, e toda língua proclame, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é o Senhor” (Fl 2,10)!

– Quando dizemos: “Venha o Teu Reino – que, queiramos ou não, virá sem falta – acendemos em nós o desejo deste Reino: que venha para nós e nele mereçamos reinar.

Meditando: Cristo Rei, Teu Reino não é como os reinos desta terra! Ali onde se encontra bondade, justiça, verdade, cuidado, ali já se encontra o Reino! Que trabalhemos por ele nesta vida e mereçamos gozar de toda sua grandeza na hora em que nos chamardes para as moradas da Casa do Pai!

– Quando dizemos: “Faça-se Tua Vontade assim na terra como no céu”; nós Te pedimos que nos concedas obedecer-Te, de modo que se cumpra em nós Tua Vontade, do mesmo modo como se faz nos Teus Anjos nos céus.

Meditando: Teus Anjos, meu Senhor e meu Deus, são “heróis poderosos, sempre prontos a cumprir a Tua Vontade” (ver Sl 103,20)! Que deixemos nossos Anjos da Guarda nos fazerem ver que Tua Vontade é bondade, beleza e ternura!

– Quando dizemos: “O pão nosso de cada dia dá-nos hoje”; pela palavra “hoje” se entendo “nosso tempo” (…) Indica o todo pela palavra “pão”: pedimos aquilo que nos basta. Pedimos o Sacramento dos Fiéis (a Eucaristia) necessário agora, não para a felicidade nesta vida, mas para alcançarmos a felicidade eterna.

Meditando: Muitos de nós estamos desanimados de viver. Outros se empenham em viver a vida que acreditam ser apenas esta, e se tornam perigosos para si e para os demais. Que tenhamos sede de Ti, Vida Verdadeira, e aproveitemos o tempo que nos é dado para em tudo amar e servir a Ti, Divina Majestade!

– Quando dizemos: “Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos a nossos devedores”; tomamos consciência do que pedimos e do que temos de fazer para merecer obtê-lo.

Meditando: Jesus, perdoa nossas ofensas, e nos conduz a perdoar a quem nos tem ofendido! Dilata nossos corações com Tua caridade generosa!

– Quando dizemos: “Não nos deixes cair em tentação”; nós nos lembramos de pedir, para que não aconteça que, privados de Teu auxílio em alguma tentação nela consintamos.

Meditando: Jesus,Tu foste tentado em diversas ocasiões, por demônios ou por gente como a gente. Assim quiseste para nos dar ânimo para não cairmos em tentação! Tu és nosso escudo, nossa fortaleza! A Teu Coração nos confiamos, para que sejamos santos a Teus bons olhos!

– Quando dizemos: “Livra-nos do mal”; somos levados a pensar que ainda não estamos naquele Bem, em que não padeceremos de mal algum. Este último pedido da oração do Senhor é tão amplo, que o cristão – em qualquer situação em que esteja – mediante ele pode gemer, derramar lágrimas, daí começar, nele demorar-se, nele terminar a oração.

Meditando: Bom Jesus, Jesus Amado, Amigo Fiel e Verdadeiro, assim lemos nos Salmos: “Foge do mal e faze o bem constantemente, e tua casa durará constantemente, pois o Senhor ama o que é direito e não abandona os seus amigos” (ver Sl 36/37,27-28). Concede-nos amar o que Tu amas e detestar o que Tu detestas! Pai Nosso