Igreja, Povo Santo e Sacerdotal: as Ordenações
Março 23, 2017
A Anunciação – Hino das I Vésperas
Março 24, 2017

Santo Inácio de Loyola nos ajuda a considerar como Jesus padece também por mim!

Os bons olhos de Jesus, nosso grande Deus e Salvador

“Considerar como padece tudo isto por meus pecados” [Exercícios Espirituais 195 e 196]

O Natal de Inácio nos seus Exercícios Espirituais  lembra o Natal de São Mateus. Os padecimentos de Jesus neste maravilhoso Evangelho lá estão muito centrais nos relatos das aflições de José, na morte dos Inocentes, na fuga para o Egito, na volta para Nazaré, porque Arquelau governava a Judeia e era muito mais tirano que seu pai, Herodes…

Também o Natal de São João, seu maravilhoso Prólogo (Jo 1,1-14), menciona como “os seus não o compreenderam”, não o aceitaram… No Natal de Santo Inácio, o exercitante é convidado a olhar e considerar “o que fazem (Maria e José) para que o Senhor nasça em extrema pobreza. E, ao cabo de tantos trabalhos, de fome, de sede, de calor e de frio, de injúrias e afrontas, vá morrer na cruz, e tudo isso por mim. Depois, refletindo, tirar algum proveito espiritual” [EE 116].

Na Paixão, Santo Inácio mais uma vez coloca a pista para que o exercitante diante da realidade de que o Bom Pastor dá a vida pela multidão humana, porque é uma multidão os que precisam dele. Mas, Bom Pastor, dá a vida “por mim”, porque sua palavra é séria e honesta, palavra que brota do lado esquerdo do peito, do fundo do Coração, palavra dita com toda a sua verdade, com todo o seu ser: Ele é o Bom Pastor (Jo 10,11), que deixa as 99 ovelhas bem guardadas e vai, pelas quebradas do mundo, em busca de uma só ovelha perdida!

Por isso, se quero rezar meu pecado à luz da Paixão de Jesus, o Senhor, devo tomar coragem para suplicar a graça de sentir, sinceramente, que o dom do Senhor – seu Corpo dado e seu Sangue derramado – são para mim, diretamente para mim, e seriam só para mim se eu e cada ser humano pecador não precisássemos todos de Seu amor até o fim (Jo 13,1).