Santo de janeiro – São Paulo, o Convertido
fevereiro 5, 2014
Missa da Reconciliação – Coreia 2014
agosto 19, 2014

Santos de fevereiro: 26 crucificados

São Francisco Xavier, companheiro de Inácio de Loyola na Universidade de Paris e na fundação da Companhia de Jesus, foi o primeiro europeu e missionário a desembarcar no Japão (1549). Apenas 40 anos depois, os católicos já chegavam a cerca de 400 mil. Os jesuítas também tinham criado colégios. Num deles estudava Paulo Miki, que veio a se tornar jesuíta.

 Nestes inícios, os cristãos eram vistos com simpatia pelas autoridades. No tempo do imperador Toyotomi Hideyoshi os ventos mudaram. Este guerreiro atacou o vizinho Reino da Coréia e expulsou os missionários europeus. Mas ainda havia uma fresta: em meio a comerciantes vindos das Filipinas, então colônia espanhola, missionários chegavam, para alegria dos cristãos.

 As autoridades decidiram-se a fechar todas as portas e a desencadear uma forte perseguição para desencorajar novas conversões e alcançar o abandono da “fé estrangeira” por parte dos súditos o Imperador japonês. Paulo Miki, jesuíta, com mais dois catequistas jesuítas, seis missionários franciscanos espanhóis e dezessete cristãos leigos. Condenados a morrer crucificados, todos se portaram heroicamente. Estavam alimentados por Jesus, Hóstia viva, “doçura dos fortes, vigor dos fracos”. Era o dia 5 de fevereiro de 1597, na colina Tateyama, perto de Nagazáqui. Em 1862, foram declarados santos (“canonizados”, isto é, inscritos na lista oficial, ou “cânon” dos santos). Sua memória litúrgica é celebrada no dia 6 de fevereiro. São os primeiros mártires da gloriosa e sofrida Igreja no Japão.

 Temos relato de testemunha ocular do suplício, que é a segunda leitura do Ofício das Horas do dia da festa destes santos. Enquanto os torturados entoavam um Salmo de louvor, Paulo Miki, do alto de sua cruz, pronunciou seu último sermão, imitando nosso Salvador com palavras de sincero perdão.