Valores no lar e na escola – Foucault: “A verdade dos meus livros está no futuro” – Reflexões sobre Maquiavel
abril 29, 2015
Papa Francisco: não ter medo de convidar Jesus para o casamento!
maio 1, 2015

São José Bento Cottolengo (1786-1842) 30 de abril

Numa época em que parecia a muitos que a Igreja vivia suas últimas horas, numa Itália onde o Papado estava cercado e muito limitado na ação, e o mundo político, econômico e social se mostrava dominado por forças hostis, houve um extraordinário florescimento de santidade no norte italiano, em particular na cidade de Turim, capital do reino do Piemonte.

José Bento nasceu numa pequena cidade, Bra. Seguindo sua vocação, foi ordenado e nomeado cônego da igreja de “Corpus Domini” (“Corpo do Senhor)”. A seu lado, ele abriu uma pequena casa para abrigo dos pobres e doentes abandonados: “A Pequena Casa da Divina Providência”. Transferida para os subúrbios da capital piemontesa, mantendo-se, dia a dia, apenas pelos dons da Providência, sem guardar uma moeda de um dia para o outro, a obra cresceu sem parar, acolhendo todos os tipos de misérias, com caridade, limpeza e dignidade. Logo a Pequena Casa foi chamada de “Cottolengo”. Hoje, existem “cottolengos” pelo mundo afora, também no Brasil. Assim, em Trindade / GO, um dos maiores, abriga diversas “famílias” de desvalidos. Uma visita não nos deixa abatidos, mas entusiasmados e esperançosos, com vontade de fazer o bem!

SJBCottolengo

Sob a inspiração do Padre José Bento, surgiram hospitais, asilos, orfanatos, escolas, oficinas… E que santo inspirou, sobretudo, São Cottolengo? Nosso querido São Vicente de Paulo! Por sua obra magnífica, onde a Divina Providência se manifestava cada dia, o Santo Padre Bento XV o proclamou Bem-aventurado em 1917. Em 1934, ele foi inscrito no catálogo dos santos (“canonizado”) pelo Papa Pio XI. Bento XVI, na sua carta encíclica “Deus é Amor” o recordou “entre os modelos insignes de caridade social”.