Saul, “jovem, belo” é escolhido rei!
dezembro 20, 2016
Saul, chefe guerreiro morre
Janeiro 4, 2017

Venerando a Mãe de Deus e nossa no comecinho do novo ano

Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus
1o de janeiro

A Santa Igreja começa o ano novo honrando a Mãe de Deus e Mãe nossa também, Mãe da Igreja.

 Um dos mais belos elogios que lhe forma feitos, da autoria de São Cirilo, Patriarca de Alexandria, na abertura do Concílio de Éfeso (século V), que promulgou como dogma de fé a Maternidade Divina da Virgem:

Olhemos para esta reunião de homens santos, alegres e exultantes que, convidados pela santa e sempre Virgem Maria, Mãe de Deus, prontamente acorreram a Éfeso (…) Neste momento, vemos realizar-se entre nós as doces palavras do salmista: ‘Como é bom e suave os irmão bem unidos!’ (Sl 132/133,1).

Salve ó mística e santa Trindade, que nos reunistes nesta igreja de Santa Maria, Mãe de Deus! Salve, ó Maria, Mãe de Deus, venerável tesouro do mundo inteiro, lâmpada inextinguível, coroa da virgindade, cetro da verdadeira doutrina, templo indestrutível, morada d’Aquele que nenhum espaço pode conter! Salve Virgem e Mãe, por meio de quem é proclamado nos santos Evangelhos “bendito o que vem em nome do Senhor” (Mt 21,9).

Salve, ó Maria, tu, que trouxeste em teu sagrado seio virginal o Imenso, o Incompreensível! Por ti é glorificada e adorada a Santíssima Trindade! Por ti se festeja e é adorada no universo a Cruz preciosa! Por ti exultam os céus e se alegram os Anjos e Arcanjos! Por ti são postos em fuga os demônios! Por ti cai do céu o diabo tentador! Por ti é elevada ao céu a criatura decaída! Por ti, todo o gênero humano, sujeito à insensatez dos ídolos, chega ao conhecimento da verdade! Por ti, o santo Batismo purifica os que crêem! Por ti, recebemos o óleo da alegria! Por ti são fundadas as igrejas em toda a terra! Por ti, as nações são conduzidas à conversão!

E o que mais direi? Por Maria, o Filho Único de Deus “veio iluminar os que jazem nas trevas e nas sombras da morte” (Lc 1,77). Por seu intermédio, os Apóstolos anunciaram as coisas futuras e proclamaram aos povos a Salvação. Por seu intermédio, os mortos ressuscitam! (…) Quem dentre nós é capaz de celebrar dignamente Maria, merecedora de todo louvor? Ela é mãe e virgem: que coisa admirável! Este milagre me deixa extasiado. Quem jamais ouviu dizer que o construtor fosse impedido de habitar no templo que ele mesmo construiu? Quem se humilhou tanto a ponto de escolher uma servidora para ser sua própria mãe?

Tudo exulta de alegria! Reverenciemos e adoremos a Divina Unidade, ao celebrarmos com louvores a sempre Virgem Maria! Ela é o Templo Santo de Deus, que é seu Filho, seu Esposo imaculado. A ele a glória pelos séculos, amém! *

(Segunda leitura da festa da Dedicação da Basílica de Santa Maria Maior, 5 de agosto).